ARRUDA, JOAO PONCE DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ARRUDA, João Ponce de
Nome Completo: ARRUDA, JOAO PONCE DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ARRUDA, JOÃO PONCE DE

ARRUDA, João Ponce de

*const.1946; dep. fed. MT 1946-1956; gov. MT 1956-1961; dep. fed. MT 1963-1967.

 

João Ponce de Arruda nasceu em Cuiabá no dia 27 de julho de 1904, filho de João Pedro de Arruda e de Adelina Ponce de Arruda.

Fez seus estudos primários na Escola Modelo Barão de Melgaço, e os secundários no Liceu Cuiabano, ambos em sua cidade natal. Vindo para o Rio de Janeiro, então Distrito Federal, formou-se em engenharia civil em 1927 pela Escola Politécnica.

Tendo exercido a profissão de engenheiro até 1930, tornou-se, após a revolução desse ano, diretor do Serviço de Obras Públicas de Mato Grosso, na gestão do interventor Antônio Mena Gonçalves, de 1930 a 1931. Nesse ano passou a dirigir o Departamento de Terras, Minas e Colonização do mesmo estado, cargo que deixou em 1933 para assumir a prefeitura de Cuiabá.

Em outubro de 1934, elegeu-se deputado à Assembléia Constituinte de Mato Grosso. Deixando a prefeitura, assumiu o seu mandato em maio do ano seguinte, participando dos trabalhos constituintes. Após a promulgação da Carta estadual, passou a exercer o mandato ordinário até novembro de 1937, quando foram fechados, com a instauração do Estado Novo, todos os órgãos legislativos e partidos políticos existentes no país. Exerceu em seguida, a convite de sucessivos interventores, os cargos de secretário de Agricultura, de Viação e Obras Públicas e de secretário-geral do estado de Mato Grosso.

Após a queda do Estado Novo em outubro de 1945, elegeu-se em dezembro seguinte deputado à Assembléia Nacional Constituinte por Mato Grosso, na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Tomando posse em fevereiro de 1946, participou dos trabalhos constituintes e, após a promulgação da nova Carta, em setembro do mesmo ano, passou a exercer o seu mandato ordinário. Nessa legislatura foi membro da Comissão Permanente de Finanças da Câmara.

Em outubro de 1950 tornou a eleger-se deputado por Mato Grosso, na mesma legenda, voltando a ser eleito, em outubro de 1954, dessa vez na legenda da Aliança Democrática Trabalhista, constituída pelo PSD e pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Eleito em outubro de 1955 governador de Mato Grosso na legenda Redenção Mato-Grossense, coligação entre o PSD e o PTB, deixou a Câmara em janeiro de 1956 para receber o governo das mãos de Fernando Correia da Costa.

Durante a sua gestão, equipou com máquinas modernas a Comissão de Estradas de Rodagem do estado e construiu várias rodovias. Criou as Centrais Elétricas Mato-Grossenses (Cemat) e construiu a usina hidrelétrica do Mimoso, no município de Rio Pardo (MT). Federalizou ainda a Faculdade de Direito do estado e construiu a nova sede do governo no mesmo local da antiga sede — palácio Alencastro —, que mandou demolir. Em janeiro de 1961 transmitiu o governo a Fernando Correia da Costa, novamente eleito para o cargo

Em outubro de 1962 voltou a ser eleito deputado federal por Mato Grosso, na legenda da Aliança Democrática Social Trabalhista integrada pelo PSD e o PTB. Assumindo o seu mandato em fevereiro de 1963, tornou-se em março seguinte vice-líder da maioria na Câmara. Após o movimento político-militar de março de 1964, que depôs o presidente João Goulart, com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a conseqüente instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), agremiação política de apoio ao governo.

Em novembro de 1966 candidatou-se à eleição para o Senado por Mato Grosso na legenda da Arena, sendo derrotado por Fernando Correia da Costa, lançado também pela Arena em sublegenda. Voltando à Câmara Federal encerrou o seu mandato em janeiro de 1967 não concorrendo a partir de então a cargo eletivos.

Ao longo de sua vida foi ainda presidente da Junta Executiva Regional de Estatística de Mato Grosso, do Diretório de Geografia do mesmo estado e do Conselho Estadual de Administração Municipal. Foi também secretário-geral do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e da Associação Mato-Grossense de Engenharia.

Faleceu em Cuiabá no dia 17 de maio de 1979.

Foi casado com Hélia Vale de Arruda, com quem teve duas filhas.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; CÂM. DEP. Relação nominal dos senhores; CISNEIROS, A. Parlamentares; CORRESP. GOV. EST. MT; COUTINHO, A. Brasil; Diário do Congresso Nacional; Grande encic. Delta; Jornal do Brasil (16/10/66 e 18/5/79); MENDONÇA, R. Dic.; MENDONÇA, R. História; SENADO. Relação; SILVA, G. Constituinte.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados