Raimundo Damasceno Assis

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ASSIS, Raimundo Damasceno
Nome Completo: Raimundo Damasceno Assis

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ASSIS, Raimundo Damasceno

ASSIS, Raimundo Damasceno           

*religioso; secr.-ger. CNBB 1995-2003; presid. CNBB 2011-2015


 

Raimundo Damasceno Assis nasceu no dia 15 de fevereiro de 1937 em Capela Nova (MG), filho de Francisco Solano de Assis e de Carmem Damasceno de Assis.

Fez seus primeiros estudos no juvenato São José dos Irmãos Maristas, em Mendes (RJ). Em 1955 transferiu-se para o Seminário Menor, em Mariana (MG), onde concluiu a educação básica e cursou filosofia, já no Seminário Maior. Em 1961 foi para Roma, onde estudou filosofia e teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana. Em 1965 completou o curso superior de catequese no Instituto Catequético de München, na Alemanha. Em março de 1968 foi ordenado presbítero e assumiu a casa paroquial de Conselheiro Lafaiete (MG). Na volta ao Brasil, cursou pós-graduação em filosofia da ciência na Universidade de Brasília e na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Nesse mesmo ano foi transferido para Brasília e assumiu a coordenação da catequese da Arquidiocese, que exerceu até 1970, e da Igreja do Santíssimo Sacramento, onde permaneceu até 1976. Nos anos seguintes foi chanceler da Arquidiocese, até 1979, e professor no Seminário Maior e no Departamento de Filosofia na Universidade de Brasília (UnB), até 1991.

Foi ordenado bispo em setembro de 1986 e passou a ocupar o cargo de bispo auxiliar, vigário geral da Arquidiocese de Brasília, e diretor do Curso Superior de Teologia para leigos, funções que exerceria até 2003. Entre 1987 e 1991 foi membro da Comissão Episcopal do Departamento de Catequese do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) e nos cinco anos seguintes foi secretário-geral do Celam. Em 1992, foi eleito secretário-geral da IV Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, em Santo Domingo, na República Dominicana, que teve como tema a “Nova evangelização, promoção humana e cultura cristã”. Dois anos depois, foi nomeado pelo papa João Paulo II padre sinodal na Assembléia Especial para a África do Sínodo dos Bispos, em Roma. Foi membro do Comitê Econômico do Celam (Bogotá), entre os anos de 1995 e 1999.

Em 1995, foi eleito secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cargo que exerceu até 2003. Ainda em 2003, foi escolhido presidente do conselho fiscal da CNBB, função que exerceria até 2006. Foi eleito ainda membro da Academia Brasiliense de Letras, tomando posse no ano de 2004.

Ainda em 2004, dom Raimundo Damasceno foi nomeado arcebispo da Arquidiocese de Aparecida do Norte, em São Paulo, em substituição ao cardeal dom Aloísio Lorscheider, que se aposentara após ter exercido o cargo por nove.

Em julho de 2007, foi eleito presidente do Celam para o quadriênio (2007-2011), durante a Assembleia Ordinária, celebrada em Havana, Cuba. Ainda nesse ano recebeu a medalha do mérito legislativo da Câmara dos Deputados, sendo responsável, ainda, pela recepção do papa Bento XVI em sua visita oficial à cidade de Aparecida. Entre os anos de 2007 e 2011, foi presidente do Conselho Fiscal da CNBB. No ano de 2008, foi nomeado por Bento XVI para a XII Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, em Roma.

Em 2009, dom Raimundo Damasceno foi novamente escolhido pelo papa Bento XVI para atuar como padre sinodal da Segunda Assembléia Especial para a África do Sínodo dos Bispos. Nesse ano, foi também nomeado membro da Pontifícia Comissão para América Latina.

Foi ainda membro do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais da Santa Sé, membro da Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB para a Comunicação, Educação e Cultura, membro da Comissão Episcopal de Comunicação do Celam, e presidente da Comissão Episcopal da CNBB da Campanha para a Evangelização.

Em outubro de 2010, quando da sua participação como convidado do papa Bento XVI no Sínodo para os Bispos do Oriente Médio, o arcebispo brasileiro recebeu a notícia de sua nomeação como cardeal, confirmada pelo consistório realizado no mês seguinte. Aos 73 anos de idade, o novo cardeal passou a ter direito a voto numa eventual eleição papal. Dom Raimundo Damasceno passou a ter o direito de ser o titular de uma igreja em Roma. Assim, em abril de 2011, tomou posse como titular da Igreja da Imaculada Conceição e São João Berchmans, na Via Tiburtina em Roma.

O cardeal foi eleito, no dia 9 de maio de 2011, para o cargo de presidente da CNBB, tendo recebido 196 votos, o equivalente a 71% dos votos válidos. A votação foi durante a 49ª Assembleia Geral da instituição, realizada em Aparecida (SP), e dom Raimundo substituiu o arcebispo de Mariana, dom Geraldo Lírio Rocha, que estava na presidência da entidade há quatro anos.

Dom Raimundo retornou, mais uma vez, a Capela Nova, no ano de 2012. Ao lado de parentes e da comunidade local, foi homenageado na praça local, batizada segundo seu nome de cardeal.

Em fevereiro de 2013, participou da cerimônia de despedida que reuniu Bento XVI e cardeais, após a renúncia do papa. No mês seguinte, participou, pela primeira vez, de um conclave convocado para a escolha do novo papa. Nesta ocasião, seu nome chegou a ser cogitado como possível sucessor, mas a escolha final recaiu sobre o nome do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, que assumiu como papa Francisco.

No ano seguinte, em fevereiro, dom Raimundo foi nomeado pelo novo papa como presidente do Sínodo Extraordinário sobre a Família, que se realizaria no Vaticano entre os dias 9 e 15 de outubro. Este encontro teve por objetivo combater o crescente processo de descristianização nos países ocidentais, considerando o núcleo familiar como o primeiro lugar de transmissão da fé.

Em abril de 2014, dom Raimundo, representando a CNBB, aprovou uma declaração sobre os 50 anos do golpe civil-militar brasileiro, intitulada “Por tempos novos, com liberdade e democracia”. O texto, assinado pela presidência da instituição, alertava as “gerações pós-ditadura” para que se mantivessem “atuantes na defesa do Estado democrático de direito”, reafirmando “o compromisso da Igreja com a defesa de uma democracia participativa e com justiça social para todos”.

Também neste mês, no dia 24, o cardeal participou da missa celebrada pelo papa Francisco em ação de graças pela canonização do Padre, junto aos cardeais brasileiros José Freire Falcão, Odilo Scherer, João Braz de Aviz e Cláudio Hummes. Ao agradecer ao papa a canonização do jesuíta, após mais de 400 anos de processo várias vezes interrompido, dom Raimundo Damasceno ressaltou o desprendimento e a dedicação de Anchieta aos indígenas e aos marginalizados.

Quando da realização da 52ª Assembleia Geral da CNBB, em maio de 2014 no santuário de Aparecida, o cardeal divulgou a mensagem “Pensando o Brasil: desafios diante das eleições 2014”. Nela, dom Damasceno destacava especialmente a necessidade de uma reforma política no país, contando com o apoio da CNBB e outras entidades.

Também em Aparecida, no dia 16 de setembro, o cardeal, representando a CNBB, promoveu um debate com candidatos à presidência da República também. Para o evento, foram convidados mais de 350 bispos. Temas polêmicos como aborto, descriminalização do uso de drogas, casamento entre pessoas do mesmo sexo e homofobia estiveram no centro das discussões. Dom Raimundo Damasceno entregou, antes do debate, uma proposta de reforma política aos presidenciáveis, em breve encontro no Seminário Bom Jesus.

 

Bruno Marques

 

FONTES: Portal Católicos na Rede. Disponível em: <http://catolicosnarede.word press.com/2007/11/21/dom-raymundo-damasceno-e-dom-waldyr-calheiros-sao-homena geados-pela-camara-dos-deputados>. Acesso em: 15/09/2009; Portal CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Disponível em: <http://www.cnbb.org. br/bispos/visual/index.php?nome=RaymundoDamascenoAssis>. Acesso em: 15/09/2009; Portal de Nossa Senhora Aparecida. Disponível em: <http://www.arquidiocese aparecida.org.br/index.php?id_pagina=22>. Acesso em: 15/09/2009; Portal PIME-Net (12/7/07). Disponível em: <http://www.pime.org.br/noticias2007/noticiasbrasil509. htm>. Acesso em: 15/09/2009;

http://www.catholic-hierarchy.org/bishop/bdamass.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://ocaminho.org.br/portal/cardeal-raymundo-damasceno-novo-presidente-da-cnbb.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://press.vatican.va/content/salastampa/en/documentation/cardinali_biografie/cardinali_bio_assis-damasceno_r.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://arqaparecida.org.br/arcebispo.php. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://palacenuneshotel.com/?p=1360. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://www2.fiu.edu/~mirandas/bios2010.htm#Assis. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2010/10/recebo-nomeacao-com-humildade-diz-dom-raymundo-damasceno.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/10/arcebispo-de-aparecida-dom-damasceno-e-nomeado-cardeal-pelo-papa-1.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/05/cardeal-raymundo-damasceno-e-eleito-presidente-da-cnbb.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://papa.cancaonova.com/dom-raymundo-damasceno-assis/. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/renuncia-do-papa/simples-e-diplomatico-dom-damasceno-representa-a-igreja-da-america-latina,7f7c3617a7c1d310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/02/arcebispo-de-aparecida-diz-nao-ter-chances-de-virar-papa-1.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/mundo/renuncia-sucessao-papa-bento-xvi/noticia/2013/03/reporter-do-g1-relata-expectativa-de-cardeal-brasileiro-para-o-conclave.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/mundo/renuncia-sucessao-papa-bento-xvi/noticia/2013/02/grazie-diz-papa-bento-xvi-cardeal-brasileiro-em-sua-ultima-audiencia.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/02/veja-quem-sao-os-brasileiros-com-chance-de-virar-papa.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2013/03/cinco-brasileiros-participam-do-conclave-para-escolha-do-papa.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/02/papa-nomeia-cardeal-brasileiro-para-o-sinodo-da-familia-diz-cnbb.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://www.cnbb.org.br/imprensa-1/noticias/13944-declaracao-por-tempos-novos-com-liberdade-e-democracia. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://www.cnbb.org.br/eventos-1/assembleia-geral-1/14205-cnbb-divulga-mensagem-pensando-o-brasil-desafios-diante-das-eleicoes-2014. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://www.cnbb.org.br/imprensa-1/noticias/14861-presidencia-da-cnbb-concede-entrevista-a-imprensa 1 set. 2014. Acesso em: 01 e 21/09/2014; http://www.cnbb.org.br/imprensa-1/noticias/14843-debate-com-presidenciaveis-tera-participacao-de-bispos-da-cnbb. Acesso em: 01 e 21/09/2014; e http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2014/04/apos-missa-de-gracas-a-anchieta-papa-francisco-evita-beija-mao-4484151.html. Acesso em: 01 e 21/09/2014.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados