BARROS, EUGENIO DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BARROS, Eugênio de
Nome Completo: BARROS, EUGENIO DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BARROS, EUGÊNIO DE

BARROS, Eugênio de

*gov. MA 1951-1956; sen. MA 1959-1967.

 

Eugênio de Barros nasceu em Matões (MA) no dia 13 de novembro de 1898, filho de Balbino de Barros e de Hermelinda de Azevedo Ramos.

Em outubro de 1950, foi eleito governador do Maranhão na legenda do Partido Social Trabalhista (PST) — liderado no estado por Vitorino Freire — derrotando o até então vice-governador Saturnino Belo. Sua vitória, porém, contestada pelas forças adversárias, não foi reconhecida de imediato. Devido à disputa que se desencadeou e à morte repentina de Saturnino Belo em 16 de janeiro de 1951, o governo do estado foi entregue no dia 31 de janeiro pelo governador em fim de mandato, Sebastião Archer, ao desembargador Traiaú Rodrigues Moreira, presidente do Tribunal de Justiça. Descartada a necessidade de eleições suplementares com a morte de Saturnino Belo, Eugênio de Barros foi empossado em fevereiro de 1951. No mês seguinte, entretanto, em conseqüência da forte pressão oposicionista que continuou se desenvolvendo, passou o governo ao deputado César Alexandre Aboud, que havia sido eleito, mediante acordo, novo presidente da Assembléia Legislativa. O desentendimento político prosseguiu, entretanto, motivando a intervenção do general Edgardino Pinto, comandante da 8ª Região Militar. Superada a questão, Eugênio de Barros reassumiu o governo maranhense em setembro de 1951, tendo como vice-governador Renato Archer, tenente da Marinha e filho do ex-governador Sebastião Archer.

Após o pleito de outubro de 1955 para o governo do Maranhão, uma nova crise se instalou diante da reivindicação de vitória eleitoral pelas facções concorrentes. Em janeiro de 1956, não estando ainda concluídas as apurações, Eugênio de Barros transmitiu o cargo ao deputado Alderico Novais Machado, vice-presidente da Assembléia Legislativa, que renunciou pouco tempo depois. Foi empossado, então, o deputado Eurico Bartolomeu Ribeiro, vice-presidente em exercício daquela casa.

Nas eleições de outubro de 1958, Eugênio de Barros elegeu-se senador, dessa vez na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Foi presidente do diretório regional do PSD do Maranhão e membro do diretório nacional do partido. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), agremiação situacionista.

Em novembro de 1966, foi novamente candidato ao Senado, dividindo a legenda com seu companheiro de partido Clodomir Millet, que acabou vitorioso. Eugênio de Barros exerceu o mandato até o final da legislatura, em janeiro de 1967.

Além da política, dedicou-se à indústria.

Foi casado com Rosalina Pinto de Barros.

 

FONTES: Encic. Mirador; Grande encic. Delta; HIPÓLITO, L. Campanha; Jornal do Brasil (16/10/66); MAGALHÃES, B. Artur; SENADO. Dados; SENADO. Relação.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados