BECKMANN FILHO, HENRIQUE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BECKMANN FILHO, Henrique
Nome Completo: BECKMANN FILHO, HENRIQUE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BECKMANN FILHO, Henrique (VERIFICAR)

BECKMANN FILHO, Henrique

* militar; comte. I Ex. 1981;  ch. Depto. Ger. Serv. Ex 1981-1982; comte III Ex. 1982-1983.

 

Henrique Beckmann  Filho nasceu em Taquari (RS), no dia 12 de novembro

de 1917, filho de Henrique Beckmann e Elvira J. Beckmann. Seus primos Ernesto e Orlando Geisel seguiram a carreira militar. O primeiro esteve à frente do  Comando Militar de Brasília  (1961), foi chefe do  Gabinete  Militar da  Presidência da República (1961 e 1964-1967), ministro do Superior Tribunal Militar (1967-1969),  presidente da  Petrobrás (1969-1973), tendo chegou a presidente da República (1974-1979). O segundo  foi chefe do  Departamento Geral de  Pessoal do  Exército (1965-­1966), comandante do III Exército (1966),  chefe do Estado-Maior do Exército (1966-­1968)  e do Estado-Maior das Forças Armadas (1968-1969) e ministro do  Exército (1969-1974).

                Após cursar o secundário no Colégio Militar de Porto Alegre, Henrique Beckman Filho sentou praça em abril de 1936 na Escola Militar do Realengo, de onde saiu em dezembro de 1938, aspirante à arma da artilharia. Segundo tenente em dezembro do ano seguinte, foi promovido a primeiro tenente em 1941 e a capitão em dezembro de 1944.

                Em 1947, iniciou o curso de comando e estado-maior na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME), no Rio de Janeiro, concluindo-o dois anos depois. Designado, em 1950, adjunto da 1a e 4a seções do Estado-Maior da 3a Região Militar, em Porto Alegre, ascendeu à patente de major em dezembro de 1951, passou a adjunto da seção de planejamento e cooperação da Zona Militar Sul, também em Porto Alegre, em 1953. Instrutor da seção de artilharia e da seção de tática geral da ECEME entre 1956  e 1958, de maio a julho do ano seguinte, exerceu a chefia da 1a seção da 8a CR.

                Chefe da 3a seção do Quartel General da 6a Divisão de Infantaria em 1960, recebeu, em dezembro deste ano, a promoção a tenente-coronel. Ao deixar esta chefia em 1962, foi instrutor da Brigada Militar do Rio Grande do Sul e, em junho, começou o curso de estado-maior na Alemanha Ocidental, de onde retornou em dezembro de 1963. Comandante do 1/6° Regimento de Obuses - 105, em São Leopoldo (RS) em abril de 1964, foi alçado, em dezembro deste ano a coronel. Em junho de 1966 tornou-se chefe da 3a seção do III Exército (Porto Alegre). No ano seguinte, foi designado subchefe do Estado-Maior do III Exército, unidade que passou a chefiar em 1968.

                Chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Planalto e da 11a Região Militar (Brasília) entre 1969 e 1971, tornou-se, no ano seguinte, prefeito militar de Brasília. Entre novembro de 1972, quando recebeu a promoção a general-de-brigada e setembro de 1974, exerceu as funções de diretor patrimonial de Brasília. Foi então designado comandante da Artilharia Divisionária da 3a Divisão do Exército, em Cruz Alta (RS), onde permaneceu até dezembro de 1976. No ano seguinte fez o curso superior de guerra da Escola Superior de Guerra (ESG), no Rio de Janeiro, e foi promovido, em novembro, a general-de-divisão.

                Foi comandante da 2a Divisão do Exército, em São Paulo, entre janeiro de 1978 e julho de 1981, quando foi promovido a general-de-exército. Comandou interinamente o II Exército depois da morte do general Mílton Tavares em junho de 1981 até outubro do mesmo ano, quando foi substituído pelo general Sérgio Ari Pires.  Nessa ocasião, tornou-se chefe do Departamento Geral de Serviços, no lugar do general Rui de Paula Couto. Em agosto de 1982 deixou essa chefia, sendo sucedido pelo general Ênio  Gouveia dos Santos, e assumiu o comando do III Exército, sediado em Porto Alegre, em substituição ao general Túlio Chagas Nogueira. Exerceu esse comando até dezembro de 1983, quando foi substituído pelo general Leônidas Pires Gonçalves. Transferiu-se então para a reserva remunerada.

                Casou-se com Jessié Fontoura Beckmann, com quem teve duas filhas.

 

 

FONTES: CURRIC. BIOG.; Globo (1/8/81); Jornal do Brasil (1/8/81); Estado de São Paulo (1/8/81, 19/8/82).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados