BISPO JOÃO BATISTA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BISPO JOÃO BATISTA
Nome Completo: BISPO JOÃO BATISTA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

BISPO JOÃO BATISTA

*religioso; dep. fed. SP 2003-2007.

                João Batista Ramos da Silva nasceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 24 de fevereiro de 1944. Formou-se em Ciências Econômicas pela Faculdade de Economia e Finanças do Rio de Janeiro em 1970, e concluiu o Curso de Aperfeiçoamento Financeiro da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 1974.

                Iniciou suas atividades profissionais como Auxiliar de Escritório (1959-1967) e, em 1967, passou a trabalhar como Técnico de Contabilidade no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), do Rio de Janeiro. Ainda no Instituto, em 1972 – ano anterior a sua saída –, proferiu a palestra Implantação Normas Financeiras do INCRA. Entre 1973 e 1992 atuou como economista da Empresa Brasileira de Telecomunicações (Embratel), e se transformou em um executivo da área de comunicação.

                Foi diretor-presidente Rede Record de Televisão Ltda (1992-1996), diretor-presidente da Rede Família de Comunicação Ltda (1998- 2002), e diretor-presidente da Rede Mulher de Televisão Ltda (1992-2002).

                Em 2001 filiou-se ao Partido da Frente Liberal (PFL), sendo eleito deputado federal um ano depois, com o apoio da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), da qual se tornou bispo.

                Durante sua legislatura envolveu-se em dois episódios de repercussão política: a apreensão de sete malas de dinheiro pela Polícia Federal (PF) no aeroporto de Brasília em 2005, e o esquema da venda superfaturada de ambulâncias (conhecido como máfia das sanguessugas), no ano de 2006.

                Detido no dia 11 de julho de 2005 no Aeroporto de Brasília – em um avião com destino à Goiânia –, com uma quantia superior a dez milhões de reais, informou à PF que os valores foram ofertados pelos fiéis, como dízimo, durante as comemorações dos 28 anos da IURD. No dia seguinte, 12 de julho de 2005, teve cancelada a sua filiação ao PFL. Neste mesmo ano filiou-se ao Partido Progressista (PP).

                De acordo com as investigações do MPF (Ministério Público Federal), o esquema da venda superfaturada de ambulâncias consistiu na apropriação de recursos públicos através, principalmente, da criação de emendas parlamentares – área da saúde –, direcionadas para a compra de ambulâncias para diversos municípios brasileiros.

                Diversos políticos foram investigados e, em maio de 2006, a Polícia Federal desmontou o esquema da venda de ambulâncias. Diante deste cenário, João Batista desistiu da candidatura à reeleição. Mesmo assim, em 30 de janeiro de 2007, a PF o indiciou.
               

Harriete Tedeschi

 

 

FONTES:

http://www.fazenda.gov.br/resenhaeletronica/MostraMateria.asp?page=&cod=207291

http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI587285-EI306,00.html

http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u78512.shtml

www.go.trf1.gov.br/.../clipping%5Cclipping_2006_08_10.doc

http://www2.camara.gov.br/

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados