BONOW, Germano

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BONOW, Germano
Nome Completo: BONOW, Germano

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

BONOW, Germano.

*dep. fed. RS 2007-

 

Germano Mostardeiro Bonow nasceu em Porto Alegre no dia 5 de abril de 1942, filho de Germano Bonow Filho e de Dora Mostardeiro Bonow.

No ano de 1968, formou-se em medicina pela Faculdade Católica de Medicina, em Porto Alegre. Exerceu o cargo de secretário de Saúde substituto no Rio Grande do Sul, em 1978, no final do governo de Sinval Guazelli (da Aliança Renovadora Nacional, Arena, de 1975 a 1979).

Em 1980, já no governo do também arenista Amaral de Sousa (1979-1983) assumiu de forma efetiva a Secretaria de Saúde permanecendo aí até o ano de 1986. No ano de 1980 fora também o representante do Brasil no Conselho Diretor da Organização Panamericana de Saúde. Entre 1980 a 1984 foi o representante do Brasil no Comitê Regional da Organização Mundial de Saúde e Representante do Brasil na Assembléia Mundial de Saúde (OMS), entre 1981 a 1984. Foi mantido no cargo pelo novo governador do Rio Grande do Sul, Jair Soares (1983-1987), do Partido Democrático Social (PDS) - sucessor da Arena.

Filiado originalmente ao PDS, no ano de 1985 ingressou no Partido da Frente Liberal (PFL). Em 1986 foi eleito por esta legenda para o seu primeiro mandato de deputado estadual. Ao assumir, tornou-se relator da Comissão de Defesa do Cidadão, Saúde e Meio Ambiente da Constituinte estadual. No ano de 1990 ocupou a presidência do Diretório Regional do PFL, em Porto Alegre, cargo em que permaneceria até 2003. Ainda nas eleições de 1990 candidatou-se à reeleição para deputado estadual e obteve novo mandato. Candidatou-se com sucesso para o seu terceiro mandato de deputado estadual em 1994. Mas pouco depois de ser empossado nessa nova legislatura, licenciou-se para assumir a Secretaria de Saúde no governo de Antônio Brito (1995-1999), do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Deixou o cargo de secretário em 1998 e retomou as suas atividades parlamentares. Nas eleições de outubro, conseguiu pela quarta vez consecutiva a cadeira de deputado estadual.

No ano 2000 candidatou-se a prefeitura de Porto Alegre, na legenda do PFL, obtendo o quarto lugar, no pleito que acabaria sendo vencido, no segundo turno, pelo candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), Tarso Genro.

Em 2002, candidatou-se a vice-governador na chapa liderada pelo ex-governador Antonio Brito, e que além do partido deste, o Partido Popular Socialista (PPS) e o PFL, incorporava ainda as legendas do Partido Social Liberal (PSL) e do Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB). Não obtiveram, porém, a vitória, que coube a Germano Rigotto, candidato do PMDB.

No ano de 2003, com o fim do mandato de deputado estadual, assumiu a direção de planejamento do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, no qual permaneceu até 2006 quando concorreu a uma vaga de deputado federal pelo Rio Grande do Sul na legenda pefelista. Empossado em fevereiro de 2007, foi titular da Comissão Permanente de Seguridade Social e Família. Ainda nesse ano, ingressou no Democratas (DEM), legenda criada com a refundação do PFL.

 

 

FONTES: Folha de S.Paulo (online) 02 out. 2000, 04 dez. 2001, 07 maio 2002, 02 out. 2006. Disponível em : <http://www1. folha.uol.com.br/folha-arquivos-ur >. Acesso em : 21 set. 2009; Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em : <http:// www2.camara.gov.br>. Acesso em : 21 set. 2009; Portal do TSE. Disponível em : <http://www.tse.gov.br>. Acesso em : 21 out. 2009.

 

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados