BOUCHARDET, MARIO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BOUCHARDET, Mário
Nome Completo: BOUCHARDET, MARIO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BOUCHARDET, Mário

BOUCHARDET, Mário

* const. 1987-1988; dep. fed. MG 1988-1989.

 

Mário Bouchardet nasceu em Visconde do Rio Branco (MG) no dia 16 de julho de 1937, filho do industrial e político Mário Bouchardet Júnior e da empresária Rosa Menicucci Bouchardet. Seu irmão, Rui Bouchardet, também atuou na vida pública.

Concluiu o curso secundário no Colégio Cataguases, na cidade de mesmo nome em Minas Gerais. Usineiro, pecuarista e latifundiário (sua família tornou-se proprietária de 18 mil hectares de terras divididas em 26 fazendas, todas ocupadas por extensas plantações de cana, alimentando três usinas de açúcar e empregando cinco mil pessoas), tornou-se diretor-presidente da Companhia Açucareira Riobranquense em 1961 e ocupou a presidência do Sindicato da Indústria do Açúcar entre os anos de 1978 e 1980.

No pleito de novembro de 1986, elegeu-se deputado federal constituinte na legenda do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Empossado em fevereiro do ano seguinte, quando tiveram início os trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte (ANC), integrou como titular a Subcomissão dos Estados, da Comissão da Organização do Estado, e como suplente a Subcomissão da Família, do Menor e do Idoso, da Comissão da Família, da Educação, Cultura e Esportes, da Ciência e Tecnologia e da Comunicação.

Em março desse mesmo ano, acusou o então presidente José Sarney de propor a distribuição de cargos federais a deputados e senadores do PMDB e do Partido da Frente Liberal (PFL) em troca de apoio irrestrito a seu governo. Em março de 1988 foi apontado como o parlamentar constituinte mais ausente do Congresso, tendo comparecido a apenas 1% das sessões da Câmara, o que levou o deputado Ulisses Guimarães, presidente da Casa, a efetuar descontos em seu contracheque – medida inédita até então. Sempre que era indagado por suas ausências no Congresso, respondia que não ia a Brasília por estar cuidando de seus negócios, e que comparecia em todas as votações que considerava relevantes, como a do sistema de governo, quando foi a favor do presidencialismo, e da duração do mandato de José Sarney, votando a favor dos cinco anos. Teve seu mandato cassado por excesso de faltas – mais de dois terços das sessões da Câmara (65 sessões) – no dia 31 de maio de 1989.

Dedicado às atividades empresariais, tentou retornar à carreira política, candidatando- se a deputado estadual no pleito de outubro de 1998 pela legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Contudo, não obteve os votos suficientes para garantir-lhe uma cadeira na Assembléia Legislativa mineira.

Foi ainda membro do conselho fiscal da Copaminas em Belo Horizonte, conselheiro efetivo do Sindicato dos Usineiros da Associação dos Usineiros do estado de Minas Gerais, diretor-proprietário da Compania Agrícola Riobranquense, proprietário da MBS Comércio e Representações Ltda. e da Rádio Sociedade Ponte Nova.

Casou-se com Áurea Maria Drummond Bouchardet, com quem teve cinco filhos.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987); COELHO, J. & OLIVEIRA, A. Nova; Correio Braziliense (19/1/1987); Estado de São Paulo (12/12/89); Folha de São Paulo (l9/1/87, 18/3, 6/4 e 16/5/88, 1 e 2/6/1989); Globo (6, 8/4 e 10/5/1988, 27/5/1989); Jornal do Brasil (21/3 e 6/6/1987, 30/4/1988, 1/6/1989).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados