BRASIL, CARLOS PFALTZGRAFF

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BRASIL, Carlos Pfaltzgraff
Nome Completo: BRASIL, CARLOS PFALTZGRAFF

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BRASIL, CARLOS PFALTZGRAFF

BRASIL, Carlos Pfaltzgraff

*militar; comte. III ZA 1946; comte. IV ZA 1949-1950.

 

Carlos Pfaltzgraff Brasil nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, filho do tenente-coronel Antônio Carlos Brasil e de Alice Pfaltzgraff Brasil. Seu irmão, Ismar Pfaltzgraff Brasil, foi comandante da II Zona Aérea de 1955 a 1956 e novamente em 1962 e chefe do Estado-Maior da Aeronáutica (Emaer) em 1961.

Fez seus estudos no Colégio Militar do Rio de Janeiro e na Escola Militar do Realengo, sendo declarado aspirante-a-oficial da arma de artilharia em dezembro de 1919, data em que foi designado para servir na fortaleza de Laje.

Promovido a segundo-tenente em abril de 1920, a primeiro-tenente em maio de 1921 e a capitão em março de 1926, no ano seguinte, com a criação da arma de aviação do Exército, matriculou-se na Escola de Aviação Militar, onde tirou o curso de piloto-aviador, sendo em seguida nomeado instrutor desse estabelecimento de ensino, função que desempenhou por diversas vezes.

Em 1930 fez o curso de aperfeiçoamento de oficiais-aviadores, tendo sido transferido, por decreto de 20 de novembro, para a arma de aviação. Durante a Revolução Constitucionalista de 1932 atuou como assessor para assuntos de aviação no estado-maior do general Pedro Aurélio de Góis Monteiro, chefe das forças legalistas, sendo promovido a major-aviador em julho do ano seguinte.

Em 1934 ingressou no curso de Estado-Maior do Exército (EME), concluindo-o em 1937, quando foi então designado para a chefia do gabinete do diretor da Aeronáutica Militar. Ainda nesse ano atuou como delegado técnico à Conferência Interamericana de Aviação, em Lima, no Peru. Promovido a tenente-coronel-aviador em setembro de 1938 e designado a seguir oficial-de-gabinete do ministro da Guerra, general Eurico Gaspar Dutra, seguiu em 1939 para a Alemanha em viagem de estudos, tendo visitado também outros países europeus. De abril deste último ano a junho de 1940 comandou o 1º Regimento de Aviação, no Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro.

Com a criação do Ministério da Aeronáutica em janeiro do ano seguinte, foi para ele transferido e promovido a coronel-aviador em dezembro de 1941, passando ainda a integrar a Comissão Nacional de Combustíveis e Lubrificantes. Ainda em 1941 assumiu a chefia da 2ª Divisão do Emaer, setor de ensino e adestramento, onde permaneceria até 1943. A partir de dezembro de 1942 passou a acumular essa função com a de membro da Comissão do Rio de Janeiro na Comissão Mista de Defesa Brasil-Estados Unidos, criada para regular a participação das forças militares dos dois países na defesa continental. Por sua participação em missões de patrulhamento durante a Segunda Guerra Mundial recebeu a Cruz de Aviação da Força Aérea Brasileira (FAB).

Em 1945 viajou para os Estados Unidos, onde fez o curso de comando e estado-maior na Escola de Fort Leavenworth, tendo em seguida estagiado na Escola de Tática Aérea, em Orlando, na Flórida. Ao regressar ao Brasil, foi designado diretor do curso do Emaer, cargo que ocuparia de abril de 1946 a janeiro do ano seguinte. Nesse ínterim comandou de junho a outubro de 1946 a III Zona Aérea (III ZA), sediada no Rio de Janeiro, sendo em seguida promovido a brigadeiro-do-ar.

Nomeado primeiro subchefe do Emaer em 1947, permaneceu no cargo até o início de 1949, assumindo em março seguinte o comando da IV ZA, em São Paulo, pelo qual respondeu até outubro de 1950. Nesse mesmo mês passou a exercer a subchefia de Aeronáutica do Estado-Maior das Forças Armadas (EMFA), cargo que ocupou até março de 1952. Em 1954 foi nomeado comandante da Escola de Comando do Emaer.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 8 de agosto de 1973.

 

 

FONTES: COUTINHO, A. Brasil; FICHÁRIO PESQ. M. AMORIM; Jornal do Brasil (9/8/73); MIN. REL. EXT. Relatório; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem; WANDERLEY, N. História.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados