BRESOLIN, ANTONIO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BRESOLIN, Antônio
Nome Completo: BRESOLIN, ANTONIO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BRESOLIN, ANTÔNIO

BRESOLIN, Antônio

*dep. fed. RS 1963-1979.

 

Antônio Bresolin nasceu em Cruz Alta (RS) no dia 23 de setembro de 1913, filho de Marcos Bresolin e de Rose Bresolin.

Radicado em Ijuí (RS), exerceu aí numerosas atividades. Foi secretário municipal e da associação comercial local, criador da Escola Industrial 25 de Julho e do Instituto de Menores, além de comissário de menores. Em sua cidade natal, fundou a Escola de Surdos e Mudos e foi juiz de paz.

Em outubro de 1958 elegeu-se deputado estadual no Rio Grande do Sul na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), tomando posse em fevereiro de 1959. Durante o mandato, foi presidente da Comissão de Assuntos Econômicos e membro da Comissão de Agricultura da Assembléia Legislativa gaúcha.

Eleito deputado federal pelo Rio Grande do Sul na legenda petebista em outubro de 1962, concluiu seu mandato estadual em janeiro de 1963 e no mês seguinte assumiu uma cadeira na Câmara dos Deputados. Em julho de 1964, após a derrubada do presidente João Goulart pelo movimento político-militar de 31 de março do mesmo ano, tornou-se vice-líder do Bloco Parlamentar da Minoria.

Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se ao partido de oposição, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB). No pleito de novembro de 1966 reelegeu-se deputado federal por seu estado na legenda emedebista e em 1967 viajou à Alemanha Ocidental, a convite do governo daquele país, para estudar problemas ligados à agricultura. Reeleito em novembro de 1970, sempre na legenda oposicionista, nessa legislatura foi presidente da Comissão de Agricultura e Política Rural e suplente da Comissão de Redação da Câmara dos Deputados. Reeleito deputado federal pela quarta vez consecutiva em novembro de 1974, sempre na legenda do MDB, obteve nesse pleito quase 90 mil votos — a segunda maior votação no partido e no estado. Nesse período, integrou as comissões de Agricultura e Política Rural e de Redação da Câmara dos Deputados.

Em julho de 1977, em entrevista concedida em Porto Alegre, acusou o líder do MDB na Câmara, deputado José Alencar Furtado — cujo mandato fora cassado no mês anterior após pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão —, de ser o responsável pelo espírito revanchista existente no Congresso Nacional. Tal declaração levou o conselho de ética do diretório regional do MDB a examinar seu comportamento político. Interpelado pelo partido, escreveu uma carta em que se defendia das acusações e se dizia injuriado e injustiçado, justificativas que levaram o procurador do MDB, Anselmo Amaral, a considerar os fatos insuficientes para a abertura de um processo de expulsão. Em novembro de 1978, Bresolin concorreu mais uma vez à reeleição, sempre na legenda do MDB, conseguindo apenas uma suplência. Em janeiro de 1979 concluiu seu mandato e retirou-se da Câmara Federal.

Faleceu no dia 22 de abril de 1993.

Era casado com Nice Bos Bresolin, com quem teve cinco filhos.

Publicou o livro Rui Barbosa e Muniz Sodré (1957).

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertórios (1971-1975, 1975-1979, 1979-1983); CÂM. DEP. Relação nominal; Correio Brasiliense (7/8/77); IPC. Relação de parlamentares; NÉRI, S. 16; Perfil (1972); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (4, 6, 8 e 9).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados