CALDAS, LISTER SEGUNDO DA SILVEIRA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CALDAS, Lister Segundo da Silveira
Nome Completo: CALDAS, LISTER SEGUNDO DA SILVEIRA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CALDAS, LISTER SEGUNDO DA SILVEIRA

CALDAS, Lister Segundo da Silveira

*dep. fed. MA 1955-1967.

 

Lister Segundo da Silveira Caldas nasceu em Teresina no dia 11 de agosto de 1921, filho de Leônidas Soriano Caldas e de Delite Elisa da Silveira Caldas.

Funcionário público e advogado, bacharelou-se em 1944 pela Faculdade de Direito do Maranhão. Trabalhou na administração estadual em 1946 como oficial-de-gabinete durante a interventoria de Saturnino Belo (1946-1947).

Ingressou na política filiando-se ao Partido Proletário do Brasil, em cuja legenda foi eleito deputado estadual no pleito suplementar de janeiro de 1947, assumindo sua cadeira na Assembleia Legislativa do Maranhão em março seguinte. Com a extinção dessa agremiação política nesse mesmo ano, filiou-se ao Partido Social Trabalhista (PST), pelo qual foi reeleito deputado estadual nas eleições de outubro de 1950, iniciando novo período legislativo em fevereiro do ano seguinte.

Desligando-se do PST, filiou-se em seguida ao Partido Social Democrático (PSD), em cuja legenda foi eleito deputado federal pelo Maranhão no pleito de outubro de 1954. Concluindo seu mandato na Assembleia maranhense em janeiro de 1955, assumiu uma cadeira na Câmara dos Deputados no mês seguinte. Reeleito sucessivamente em 1958 e 1962, sempre na legenda do PSD, após a vitória do movimento político-militar de 31 de março de 1964 que depôs o presidente João Goulart (1961-1964), a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar vigente no país.

Candidatou-se à reeleição no pleito de novembro de 1966 em sua nova legenda, mas obteve apenas uma suplência. Permaneceu na Câmara dos Deputados até o fim de janeiro de 1967, quando se encerrou o seu mandato, a ela não mais retornando na legislatura iniciada no mês seguinte. Segundo Vitorino Freire, de quem era amigo pessoal e correligionário, Lister Caldas teria abandonado em seguida a política partidária devido a desavenças com o então governador maranhense José Sarney. Porém, deixou a política em virtude de haver sofrido um infarto e ficado com a saúde debilitada a partir de então.

Ainda assim, exerceu mais tarde o cargo de procurador dos Feitos da Fazenda do estado, função em que se aposentou em 1992.

No dia 15 de maio de 2003, o deputado Gastão Vieira, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), apresentou uma proposição ao plenário da Câmara dos Deputados para que fosse registrado, nos anais da Casa, um voto de pesar pelo falecimento de Lister Caldas, “sendo esta iniciativa comunicada à família enlutada”.

Lister Caldas era casado com Nícia Castelo Branco Caldas, com quem teve um filho.

 

Luciana Barbosa Arêas

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); CÂM. DEP. Relação dos dep.; CÂM. DEP. Súmulas (1962); CÂM. DEP. Proposições (2003); ENTREV. FREIRE, V.; INF. BIOG.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2, 3, 4 e 6).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados