CAMINHA, JOAO CARLOS GONCALVES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CAMINHA, João Carlos Gonçalves
Nome Completo: CAMINHA, JOAO CARLOS GONCALVES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CAMINHA, João Carlos Gonçalves

CAMINHA, João Carlos Gonçalves

* militar; comte. V DN 1977-1981.

 

João Carlos Gonçalves Caminha nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 11 de junho de 1923, filho de Amado Pedro Rodrigues e de Constança Gonçalves Caminha.

Sentou praça na Escola Naval em março de 1941, sendo declarado guarda-marinha em fevereiro de 1945. Promovido a segundo tenente em abril, foi designado responsável pelas comunicações do caça-submarinos Guaporé. Em maio de 1946 passou a primeiro-tenente e a partir de junho assumiu a função de ajudante da Divisão E do navio-escola (NE) Minas Gerais. Em janeiro de 1947 foi transferido para o contratorpedeiro de escolta (CTE) Babitonga, onde foi ajudante da Divisão “M” até junho de 1948, encarregado do Controle de Avarias e do Material entre junho de 1948 e fevereiro de 1950, e oficial de armamento da 2ª Flotilha de agosto a dezembro de 1950. Capitão-tenente em março de 1952, assumiu a Divisão N, e em setembro o departamento de Navegação.

Em março de 1953 embarcou no cruzador Barroso, como ajudante da 2ª Divisão. Encarregado da Divisão M em outubro, retornou ao CS Guaporé como comandante, em março de 1954. Capitão-de-corveta em maio de 1955,  passou a exercer as funções de instrutor de arte naval e membro da comissão de adaptação para o oficialato da Escola Naval a partir de julho.

De agosto de 1956 a junho de 1957 retornou ao Barroso, primeiro como encarregado do material de convés e depois como chefe do departamento de Navegação do cruzador. Designado para comandar a corveta Cabedelo em julho, acumulou as funções de assistente da Flotilha do Amazonas de novembro de 1957 a outubro de 1958. Em junho de 1959 foi nomeado imediato do contratorpedeiro (CT) Pará.

Fez o curso preliminar de comando da Escola Superior de Guerra Naval entre outubro de 1960 e fevereiro de 1961, e em dezembro foi promovido a capitão-de-mar-e-guerra. Nomeado vice-diretor do Centro de Informações da Marinha (Cenimar) em janeiro de 1962, assumiu em junho a chefia do departamento de Navegação do NE Custódio de Mello.

Entre 1963 e 1964 fez os cursos de comando da Escola Superior de Guerra (ESG) e o Naval Command for Senior Foraige Officers, do U.S. Naval War College, em New Port, nos Estados Unidos. Designado instrutor, adjunto da divisão e posteriormente encarregado da divisão de Operações da ESG, em fevereiro de 1968 assumiu a chefia do V Distrito Naval (DN), sediado em Florianópolis, em substituição ao vice-almirante João Batista Franciesconi Sernan.

Em agosto de 1969 passou a encarregado da divisão de Adestramento do Estado-Maior da Armada (EMA), e em fevereiro de 1970 a encarregado da divisão de Planos, no qual permaneceu até junho. Comandante do 2º Esquadrão de Contratorpedeiros de maio de 1970 a dezembro de 1971, depois assessor do departamento de Ensino da ESG até junho de 1972, e vice-diretor da escola até julho de 1973, acabou promovido a contra-almirante e nomeado chefe do estado-maior do I Distrito Naval, com sede no Rio de Janeiro.

Fez o curso superior da ESG entre fevereiro e dezembro de 1974, sendo designado em abril membro da Comissão Brasileira de Atividades Especiais, na qualidade de representante do Estado-Maior das Forças Armadas (EMFA). Em maio respondeu interinamente pela vice-chefia do EMFA.

Em abril de 1976 assumiu o comando da Força de Contratorpedeiros, passando a integrar a Comissão de Promoção de Oficiais da Marinha. Comandante-em-chefe interino da esquadra em dezembro, foi nomeado para o comando do V Distrito Naval, em Florianópolis, em abril de 1977, em substituição ao capitão-de-mar-e-guerra Délcio Raimundo de Moura Bentes. Em fevereiro de 1981 passou o cargo ao vice-almirante Fernando Mendonça da Costa Freitas e transferiu-se para a reserva, dedicando-se a atividades acadêmicas na Escola de Guerra Naval e na Escola Superior de Guerra.

João Carlos Gonçalves Caminha fez parte do Centro Brasileiro de Estudos Estratégicos, do Instituto Brasileiro de Geografia e História Militar e da Associação de Diplomados da ESG.

Casado com Isolda Roth Caminha, não teve filhos.

               

FONTES: ARQ. MIN. MAR.; INF. BIOG.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados