CAMPOS, CARLOS ALVARES DA SILVA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CAMPOS, Carlos Álvares da Silva
Nome Completo: CAMPOS, CARLOS ALVARES DA SILVA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CAMPOS, CARLOS ÁLVARES DA SILVA

CAMPOS, Carlos Álvares da Silva

*dep. fed. MG 1947-1949.

 

Carlos Álvares da Silva Campos nasceu em Paracatu (MG) no dia 2 de fevereiro de 1893, filho de Martinho Álvares da Silva Campos Sobrinho, presidente do Conselho de Ministros do Império entre 1880 e 1882, e Zulmira Loureiro Campos. Também seguiram a trajetória política seus primos Francisco Campos, ministro da Educação de 1930 a 1932 e da Justiça de 1937 a 1941, Olegário Dias Maciel, ex-governador de Minas Gerais, Paulo Campos Guimarães, ex-deputado da Assembléia Legislativa de Minas, e Carlos Elói Carvalho Guimarães, ex-deputado federal eleito por Minas Gerais.

Estudou na Faculdade Livre de Direito do Rio de Janeiro, pela qual se bacharelou em dezembro de 1917. Retornando a Minas Gerais, foi eleito deputado estadual e exerceu o mandato de 1927 a 1930, quando o movimento revolucionário deflagrado em outubro deste ano depôs o presidente Washington Luís e suprimiu os órgãos legislativos do país. Em 1931, foi designado inspetor-geral da Instrução em Minas Gerais, função que desempenhou até 1932. No ano seguinte, Carlos Campos foi admitido, interinamente, como professor de introdução à ciência do direito da Universidade de Minas Gerais (UMG), atual Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tornando-se efetivo, através de concurso público, ainda em 1933.

Durante o Estado Novo (1937-1945), foi um dos signatários do Manifesto dos mineiros, lançado em outubro de 1943 com as assinaturas de importantes nomes da política mineira. Reivindicando o restabelecimento de garantias constitucionais e o retorno ao estado de direito, o documento foi a primeira manifestação ostensiva de oposição ao regime, emitida por lideranças liberais e conservadoras.

Com o processo de redemocratização do país que, iniciado em 1945, culminou com a promulgação da nova Carta Constitucional (18/9/1946) e a transformação da Constituinte em Congresso ordinário, candidatou-se, nas eleições suplementares de janeiro de 1947, a deputado federal por Minas pela legenda do Partido Republicano (PR). Obteve apenas uma suplência, exercendo o mandato de maio seguinte a agosto de 1949.

Integrou o Instituto Argentino de Filosofia Jurídica e Social.

Faleceu em Belo Horizonte no dia 26 de maio de 1955.

Era casado com Maria das Dores Brochado Campos.

Escritor, Carlos Campos produziu trabalhos filosóficos que mereceram elogios dos pensadores Etienne Souriau e Jean Wahl, a convite dos quais tornou-se colaborador da Rêvue de Métaphysique et de Morale. Publicou Hermenêutica tradicional e direito científico (tese de concurso, 1932), Sociologia e filosofia do direito (1943), Estudos de psicologia e lógica (1945), Reflexões sobre a relatividade (1946), Ensaios sobre a teoria do conhecimento (1959), O mundo como realidade, Aspectos do ensino no Brasil, Vultos e perfis, Estudos jurídicos, Trabalhos parlamentares, Nouveaux apports à la théorie de la connaissance et Suum Cuique Tribuere.

 

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados; Grande encic. Delta; HIPÓLITO, L. Manifesto; Rev. Arq. Públ. Mineiro (12/76); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados