CARLOS JOSE OLIVEIRA SANTOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: SANTOS, Carlos (PA)
Nome Completo: CARLOS JOSE OLIVEIRA SANTOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
SANTOS, CARLOS (PA)

SANTOS, Carlos

*gov. PA 1994-1995.

 

Carlos José Oliveira Santos nasceu em Salvaterra, Ilha de Marajó (PA), no dia 12 de novembro de 1952, filho de Carlos Santos Filho e de Dulcinéia Oliveira Santos.

Estudou na Escola Estadual Ademar Nunes de Vasconcelos, em sua cidade natal. Transferindo-se para Belém aos 13 anos de idade, ingressou na Escola Industrial Salesiana, onde aprendeu tipografia. Paralelamente, deu início a suas atividades no mercado informal, vendendo discos usados nas ruas de Belém. Na capital paraense estudou ainda nos colégios Augusto Meira, Elias Viana e Salesiano do Carmo.

Iniciou suas atividades como comerciante em agosto de 1971, ao abrir uma pequena loja de discos, a Discolux, na rua 13 de Maio, na capital paraense, que se tornaria o embrião do Grupo Carlos Santos. Em abril de 1973 estreou seu programa radiofônico denominado Boa noite Pará, na Rádio Clube do Pará. Posteriormente trabalhou nas rádios Guajará e Liberal, transferindo-se, em março de 1981, para a Rádio Marajoara, onde passou a apresentar o seu programa nas manhãs de domingo.

Carlos Santos estreou na televisão em novembro de 1988, com o programa que leva o seu nome, no canal 5 de Belém, a TVS, emissora do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT). Posteriormente transferiu-se para a TV Guajará, canal 4, que mais tarde passaria a integrar a Rede Boas Novas de Televisão (RBN), pertencente a uma organização evangélica.

Além de sua condição de cantor de grande sucesso, suas ações de caráter beneficente – como distribuição de brinquedos para crianças no Natal e de cestas de alimentos para populações carentes através dos seus programas, além da tradicional festa para dez mil crianças realizada anualmente, no dia do seu aniversário, no largo de Nazaré, em Belém – tornaram-no uma figura de grande popularidade no estado, razões pelas quais era sempre lembrado para concorrer a cargo público. Em uma dessas oportunidades, já em 1990, foi convidado pelo ex-governador Jáder Barbalho, então candidato ao governo do estado, para compor como vice-governador a chapa do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Aceitando o convite, filiou-se a essa agremiação política.

No pleito de outubro de 1990 foi eleito vice-governador do estado, assumindo sua função no Executivo paraense em 15 de março do ano seguinte. Com a desincompatibilização do governador Jáder Barbalho, em março de 1994, para concorrer a uma cadeira no Senado, Carlos Santos assumiu a chefia do Executivo estadual no dia 31 desse mês. Durante os nove meses de seu governo desapropriou terrenos não utilizados, destinando-os à construção de habitações populares; criou pólos agroindustriais em cinco municípios, com o objetivo de evitar o êxodo rural, deu andamento ao projeto de macrodrenagem da capital paraense, e concluiu a adutora de Belém, que ampliou a oferta de água potável à cidade. Na educação, reformou 252 escolas e inaugurou 14 novas unidades. Como governador, Carlos Santos permaneceu até 1º de janeiro de 1995, quando passou o cargo ao governador eleito, Almir Gabriel.

Em novembro de 1999, após alguns anos fora da televisão, Carlos Santos voltou a apresentar o seu programa na Rede Brasil Amazônia de Televisão (RBA), canal 13, emissora integrante da Rede Bandeirantes. Nos anos seguintes, não exerceu qualquer cargo político, concentrando-se apenas em sua carreira  carreira como apresentador de programas televisivos.

Como cantor, Carlos Santos ganhou seis discos de ouro e cinco de platina pela vendagem de seus 12 LPs/CDs lançados, com vendas superiores a três milhões e quinhentas mil cópias.

Fez, também, curso de marketing na Fundação Getulio Vargas, no Rio de Janeiro, e participou de cursos de aperfeiçoamento de administração e marketing em vários estados brasileiros, nos Estados Unidos (Texas, Flórida e Nevada) e na Europa (França, Portugal e Alemanha).

De seu primeiro casamento teve cinco filhos. Não teve filhos do segundo casamento. Casou-se, posteriormente, com Aline Maria Valente de Sousa, com quem teve dois filhos.

 

FONTES: CURRIC. BIOG.; INF. BIOG.; Portal Carlos Santos. Disponível em : <http:// www.carlossantos.com.br>. Acesso em : 29 e 31 out. 2009.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados