CARMO, NELSON DO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CARMO, Nelson do
Nome Completo: CARMO, NELSON DO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CARMO, Nélson do

CARMO, Nélson do

* dep. fed. SP 1983-1987.

 

Nélson do Carmo nasceu em São José do Rio Preto (SP) no dia 24 de dezembro de 1931, filho de Joaquim do Carmo e de Sebastiana Silva do Carmo.

Em meados da década de 1950 transferiu-se para Sorocaba (SP), onde em 1964 abriu um armazém que, mais tarde, deu origem a uma rede de supermercados com filiais em Campinas, Itu, Votorantim e outros municípios vizinhos.

Iniciou sua carreira política concorrendo, no pleito de novembro de 1982, a uma cadeira na Câmara dos Deputados por São Paulo, na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Eleito, tomou posse em fevereiro de 1983. Ao longo da legislatura, foi presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, membro titular da Comissão de Minas e Energia e suplente da Comissão de Transportes.

Em 25 de abril de 1984 votou a favor da emenda Dante de Oliveira, que propunha o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República em novembro seguinte. A falta de 22 votos para que o projeto pudesse ser encaminhado à apreciação do Senado Federal acabou definindo que o sucessor do presidente João Figueiredo (1979-1985) seria escolhido por via indireta. No Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, Nelson do Carmo votou no candidato do regime militar, Paulo Maluf, do Partido Democrático Social (PDS), que acabou derrotado pelo candidato oposicionista Tancredo Neves. Eleito novo presidente da República pela Aliança Democrática, uma união do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do PDS abrigada na Frente Liberal, Tancredo não chegou a ser empossado na presidência, por motivo de doença, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto no cargo foi o vice José Sarney, que já exercia interinamente o cargo desde 15 de março.

Nessa conjuntura, Nelson do Carmo desligou-se do PTB e filiou-se ao PDS. Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1987, ao final da legislatura, não tendo disputado a reeleição em novembro de 1986.

Em outubro de 1990 voltou a concorrer a uma vaga na Câmara, desta vez pelo Partido da Reconstrução Nacional (PRN), agremiação pela qual, um ano antes, Fernando Collor de Melo se elegera presidente da República. Obteve apenas uma suplência. Dedicado a suas atividades empresariais, em 1994 vendeu sua rede de supermercados.

Casou-se com Rute Elias Tambelli do Carmo, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertórios (1983-1987, 1991-1995); INF. BIOG.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados