CARNEIRO, CARLOS DA SILVEIRA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CARNEIRO, Carlos da Silveira
Nome Completo: CARNEIRO, CARLOS DA SILVEIRA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CARNEIRO, CARLOS DA SILVEIRA

CARNEIRO, Carlos da Silveira

*militar; comte. V DN 1951-1955; comte. I DN 1955; comte-em-ch. Esquadra 1955-1957.

 

Carlos da Silveira Carneiro nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 3 de agosto de 1893, filho de Alberto da Silveira Carneiro e de Honorina dos Santos Carneiro.

Fez os primeiros estudos no Ateneu Guanabara e no Colégio Paula Freitas. Ingressou depois na Escola Naval e foi declarado guarda-marinha em março de 1911, tornando-se segundo-tenente em julho de 1915 e primeiro-tenente em dezembro de 1917. Durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) serviu no encouraçado norte-americano Nevada, atuando também como ajudante-de-ordens e oficial-de-gabinete de Alexandrino Alencar, ministro da Marinha do governo Venceslau Brás (1914-1918).

Promovido a capitão-tenente em abril de 1923, durante o governo de Washington Luís (1926-1930) voltou a desempenhar as funções de ajudante-de-ordens e oficial-de-gabinete, dessa vez do contra-almirante Arnaldo Pinto da Luz, ministro da Marinha. Em dezembro de 1933 foi promovido a capitão-de-corveta e, em março de 1942, a capitão-de-fragata. Na Segunda Guerra Mundial (1939-1945) comandou o navio norte-americano Marajó, sendo promovido em novembro de 1945 a capitão-de-mar-e-guerra e em abril de 1950 a contra-almirante. Em janeiro do ano seguinte assumiu o comando do V Distrito Naval (V DN), sediado em Florianópolis, e, em fevereiro de 1954, foi promovido a vice-almirante, deixando aquela unidade em janeiro de 1955.

Ainda nesse mês, substituiu o vice-almirante Jorge do Paço Matoso Maia no comando do I DN, com sede no Rio de Janeiro. Em novembro seguinte, após a crise que culminou com o impeachment dos presidentes Carlos Luz, em exercício, e João Café Filho, licenciado, foi substituído no cargo pelo vice-almirante Paulo Mário da Cunha Rodrigues e designado então comandante-em-chefe da Esquadra em lugar do vice-almirante Carlos Pena Boto. Deixou esse posto em julho de 1957, já no governo do presidente Juscelino Kubitschek, sendo substituído pelo vice-almirante Jorge Matoso Maia.

Cursou ainda a Escola Superior de Guerra e lecionou analítica, cálculo e mecânica na Escola Naval, exercendo também as funções de instrutor da Escola de Estado-Maior do Exército, da Escola de Estado-Maior da Aeronáutica e de comandante da 1ª Flotilha de Contratorpedeiros. Chefe dos estados-maiores do Comando Naval do Centro e do IV DN, sediado no Pará, e do Departamento de Operações da Escola de Guerra Naval, dirigiu também a Escola de Marinha Mercante do Pará. Foi ainda sócio do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 6 de julho de 1974.

Era casado com Maria Cristina Fleiuss Carneiro, com quem teve quatro filhos.

Publicou Almirante José Cândido Guilhobel (1943), O poder naval através da história (1946), A batalha de Midway (1947) e A batalha naval (1949), além de artigos em jornais e revistas, sob pseudônimo, bem como no Dicionário histórico, geográfico e etnográfico do Brasil.

 

 

FONTES: ANDRÉA, J. Marinha; CORRESP. SERV. DOC. GER. MAR.; Grande encic. Delta; Histórico; INST. HIST. GEOG. BRAS.; MIN. MAR. Almanaque (1957).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados