CELSO PORFIRIO DE ARAUJO MACHADO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MACHADO, Celso
Nome Completo: CELSO PORFIRIO DE ARAUJO MACHADO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MACHADO, CELSO

MACHADO, Celso

*const. 1934; dep. fed. MG 1935-1937; const. 1946; dep. fed. MG 1946-1951.

 

Celso Porfírio de Araújo Machado nasceu em Araxá (MG) no dia 15 de fevereiro de 1895, filho de José Porfírio Álvares Machado Júnior, que fora magistrado e deputado provincial, e de Hermínia de Araújo Álvares Machado.

Iniciou os estudos no Ginásio Diocesano de Pouso Alegre (MG), concluindo o curso em 1911. Bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito de Belo Horizonte em dezembro de 1916.

Ingressou na vida pública em 1917 como delegado de polícia do município de Rio Branco, cidade da Zona da Mata mineira, fundando no ano seguinte o jornal O Comércio, do qual foi redator até 1921. Deixou a delegacia de polícia em 1922 e, ainda neste ano, passou a atuar como redator do jornal O Rio Branco. Em setembro, foi nomeado oficial-de-gabinete do secretário da Agricultura do governo de Raul Soares, Daniel de Carvalho, exercendo a função até 1924.

Eleito em 1924 deputado estadual em Minas Gerais, renovou, em 1927, seu mandato na Assembléia estadual e ao mesmo tempo elegeu-se vereador em Rio Branco. Escolhido em seguida presidente da Câmara Municipal desta cidade, permaneceu à sua frente até 1930. Realizou diversos melhoramentos, tratando do calçamento da cidade, da rede de esgotos, da iluminação elétrica, da construção de pontes e estradas e do ajardinamento das praças públicas. Levou luz elétrica a vários distritos, edificou prédios escolares, criou a Escola de Preservação de Menores Adelaide Andrada e a Escola Normal de Rio Branco, bem como o Grupo Escolar de Griricema. Ainda neste período, apoiou a Aliança Liberal (1929-1930), para a qual fez campanha na tribuna e na imprensa. Em março de 1930, reelegeu-se deputado estadual e ainda neste ano tornou-se diretor do Minas Jornal, em seu município, ao qual imprimiu orientação política progressista. Exerceu o mandato até a Revolução de Outubro de 1930, quando foi deposto Washington Luís e foram dissolvidos todos os órgãos legislativos do país.

Em maio de 1933, elegeu-se deputado à Assembléia Nacional Constituinte, na legenda do Partido Progressista (PP) de Minas Gerais, assumindo o mandato em novembro do mesmo ano. Participou dos trabalhos constituintes e, após a promulgação da nova Carta (16/7/1934) e a eleição do presidente da República no dia seguinte, teve o mandato estendido até maio de 1935. Em outubro de 1934, elegeu-se deputado federal para a legislatura ordinária que se seguiu, permanecendo na Câmara até novembro de 1937 quando, com o advento do Estado Novo, foram dissolvidos todos os órgãos legislativos do país. Entre 1938 e 1945, foi procurador da Fazenda Federal, no Rio de Janeiro. De abril a novembro de 1945, ocupou o cargo de secretário do Interior e Justiça de Minas Gerais durante o governo de Benedito Valadares (1933-1945).

Com o fim do Estado Novo (29/10/1945) e o início da redemocratização do país, elegeu-se no pleito de dezembro de 1945 deputado à Assembléia Nacional Constituinte, agora na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Participou dos trabalhos constituintes e, após a promulgação da nova Carta (18/9/1946) e a transformação da Constituinte em Congresso ordinário, exerceu o mandato na legislatura que se seguiu, integrando a Comissão de Agricultura e Política Rural e presidindo a Comissão de Tomada de Contas da Câmara dos Deputados. Após concluir seu mandato em janeiro de 1951, foi secretário de Segurança Pública de Minas Gerais de dezembro de 1959 a janeiro de 1961, durante o governo de José Francisco Bias Fortes (1956-1961).

Foi também vice-governador de Minas Gerais na gestão de Rondon Pacheco (1971-1975), tendo sido eleito por via indireta. Ocupou ainda a direção da Imprensa Oficial mineira.

Faleceu em Belo Horizonte no dia 13 de setembro de 1974.

Era casado com Teonila Barreto Mesquita Machado.

 

 

FONTES: ANDRADE, F. Relação; ARQ. GETÚLIO VARGAS; ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; Boletim Min. Trab. (5/36); CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; Câm. Dep. seus componentes; CONSULT. MAGALHÃES, B.; CONSULT. RAMOS, P.; Diário do Congresso Nacional; GODINHO, V. Constituintes; Grande encic. Delta; Jornal do Brasil (14/9/74); OLIVEIRA, M. História; Rev. Arq. Públ. Mineiro (12/76); SILVA, G. Constituinte.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados