CESAR DA CUNHA BASTOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BASTOS, Cunha
Nome Completo: CESAR DA CUNHA BASTOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BASTOS, CUNHA

BASTOS, Cunha

*dep. fed. GO 1929-1930, 1955-1959.

 

César da Cunha Bastos nasceu em Rio Verde (GO) no dia 28 de novembro de 1898, filho de Luís da Cunha Bastos e de Ana de Abreu Bastos. Seu pai foi coletor estadual e presidente do Conselho Municipal de Rio Verde (1925-1930).

Estudou no Liceu de Goiás, na cidade de Goiás, antiga capital do estado, bacharelando-se pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, em 1925.

Ocupou a Secretaria do Interior e Justiça de Goiás de agosto de 1927 até junho de 1929 no governo do presidente (governador) da província Brasil Ramos Caiado (1925-1929). Eleito deputado federal por Goiás em pleito complementar realizado no início de 1929, exerceu seu mandato de novembro de 1929 a março de 1930, ainda na 13ª legislatura. Nesse último mês, foi reeleito para a 14ª legislatura. Exerceu o mandato até 24 de outubro de 1930, quando a vitória da Revolução de 1930 suspendeu o funcionamento das casas legislativas do país.

Filiado à União Democrática Nacional (UDN) após a reorganização partidária de 1945, entre fevereiro e julho de 1950 ocupou a Secretaria de Fazenda de Goiás, durante o governo de Jerônimo de Coimbra Bueno (1947-1950).

No pleito de outubro de 1954 retomou sua carreira parlamentar, tornando a eleger-se deputado federal, na legenda da Coligação Democrática de Goiás, integrada pela UDN e pelo Partido Social Progressista (PSP). Cumpriu o mandato de fevereiro de 1955 a janeiro de 1959. Em 1958 disputou o governo do estado, pela UDN, sendo contudo derrotado por José Feliciano Ferreira (1959-1961) do Partido Social Democrático (PSD).

Com a extinção dos partidos políticos existentes pelo Ato Institucional nº 2 (AI-2) de 27/10/1965 e a instauração do bipartidarismo, Cunha Bastos filiou-se à situacionista Aliança Renovadora Nacional (Arena). Concorreu a uma cadeira de deputado federal nos pleitos de 1966, 1970 e 1974, não conseguindo eleger-se em nenhum deles. Afastou-se da vida partidária, dedicando-se à criação da primeira faculdade de filosofia de Rio Verde, em Goiás.

Com o fim do bipartidarismo e a conseqüente reorganização partidária em novembro de 1979, Cunha Bastos deixou a Arena e, em 1980, filiou-se ao recém-criado Partido dos Trabalhadores (PT), tendo sido um dos fundadores do partido em sua cidade natal.

Faleceu em Goiânia no dia 14 de dezembro de 1992.

Cunha Bastos era casado com Augusta Gomes Bastos, cujo pai foi fazendeiro. Entre seus parentes contam-se os primos Eugênio Rodrigues Jardim e José Leopoldo de Bulhões Jardim, chefes políticos na República Velha.

Seu nome foi dado a uma escola estadual em Rio Verde. Além disso, foi criada a Fundação César Bastos — núcleo de pesquisas e atividades interdisciplinares.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros (1946-1967); CÂM. DEP. Deputados federais. Inventário; CÂM. DEP. Relação dos dep.; Encic. Mirador; INF. FAM.; Sec. Est. Fazenda. Internet; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (3).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados