CORREIA, CIPRIANO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CORREIA, Cipriano
Nome Completo: CORREIA, CIPRIANO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CORREIA, CIPRIANO

CORREIA, Cipriano

*dep. fed. RN 1995-1998, 1998-1999.

               

                Cipriano Correia nasceu em Santana do Matos (RN) no dia 10 de outubro de 1945, filho de João Amaro Correia e Isabel Correia.

                De 1966 a 1971 cursou medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal. Durante esse período foi professor da Escola Técnica de Comércio Alberto Maranhão (1966-1967), do Instituto Padre Miguelinho (1968-1969), do Colégio Estadual do Ateneu Norte-Riograndense (1970). Em 1969 fez o curso de extensão universitária sobre esterilidade conjugal e, em 1972, cursou patologia clínica da coluna lombar, atualização sobre fraturas, intensivo teórico-prático de cirurgia da mão, sequelas da paralisia infantil e medicina preventiva em ortopedia e traumatologia na Universidade de São Paulo (USP). Em 1975, foi monitor do Instituto de Ciências Biológicas da UFRN (1969-1970) e professor-adjunto da Faculdade de Medicina da UFRN (1975-1986). Em 1976 presidiu o Hospital Instituto de Traumatologia e Ortopedia de Natal. No ano seguinte cursou introdução à docência na UFRN.

                Em 1982, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Em novembro de 1986, elegeu-se deputado estadual constituinte, assumindo o mandato em fevereiro de 1987. Reelegeu-se em 1990 e tomou posse em fevereiro de 1991.

                Deixou o PMDB em 1993 e ingressou nesse mesmo ano no Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Em outubro de 1994 elegeu-se deputado federal, assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte.

                Em 1995, durante o processo de reforma constitucional proposto pelo governo federal, votou a favor da quebra do monopólio dos governos estaduais na distribuição de gás canalizado, da abertura da navegação de cabotagem à concorrência estrangeira, da extinção do monopólio estatal nas telecomunicações, da quebra do monopólio da Petrobras na exploração de petróleo e da revisão do conceito de empresa nacional. Em novembro, votou a favor da prorrogação do Fundo Social de Emergência (FSE), rebatizado de Fundo de Estabilização Fiscal (FEF), que permitia ao governo desvincular 20% da arrecadação de impostos, sem que estas verbas ficassem obrigatoriamente vinculadas aos setores de saúde e educação.

                Em junho de 1996 votou a favor da criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) — que substituiu o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF) — imposto de 0,2% sobre transações bancárias criado como fonte complementar de recursos para a saúde.

                Em janeiro e fevereiro de 1997, pronunciou-se a favor da emenda da reeleição para prefeitos, governadores e presidente da República e, em novembro, votou a favor da quebra da estabilidade do servidor público, item do projeto de reforma administrativa que aprovou a demissão de servidores públicos por desempenho insuficiente ou quando os gastos com pessoal superassem a 60% da arrecadação do estado. Integrou a Comissão de Fiscalização e Controle. Foi também coordenador da Subcomissão de Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social.

                Licenciou-se para tratamento de saúde entre maio e setembro de 1998. Sua cadeira foi ocupada pelo suplente João Faustino. Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1999, ao final da legislatura, sem ter disputado a reeleição em outubro do ano anterior.

            Em 2002 candidatou-se deputado federal pelo PSDB, conquistando somente uma suplência. Novamente filiado ao PMDB, transferiu-se para o município de Lagoa Nova. Candidato a prefeito municipal em 2004, foi derrotado no pleito por Erivan de Souza Costa, lançado pelo PFL.

                Abandonando a vida pública, dedicou-se à administrar o Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Rio Grande do Norte Ltda. (Itorn). Em 2007, Cipriano Correia apareceu nas páginas da Tribuna do Norte, jornal de Natal, como um dos diretores do Itorn. Em 2009, passou a diretoria do instituto com o médico Rogério Santos.

                Casou-se com Ângela Maria Melo Correia com quem teve três filhos.

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995); Diário de Natal (18/7/06); Folha de S. Paulo (31/1/95, 14/1/96); Tribuna do Norte (28/8/07); TSE (Eleições 2002 e 2004)

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados