CORTES, FABIANO BRAGA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CORTES, Fabiano Braga
Nome Completo: CORTES, FABIANO BRAGA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CORTES, =FABIANO BRAGA

CORTES, Fabiano Braga

*dep. fed. PR 1983-1987.

 

Fabiano Braga Cortes nasceu em Lapa (PR) no dia 14 de maio de 1933, filho de Napoleão Cortes e de Maria Braga.

Em 1959 concluiu a graduação em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito de Curitiba.

No pleito de outubro de 1963, candidatou-se a vereador em Curitiba pelo Partido Social Democrático (PSD), sendo o segundo mais votado da legenda. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação política ao regime militar instalado no país a partir de abril de 1964.

No pleito de novembro de 1966, candidatou-se com êxito a uma vaga de deputado estadual na legenda da Arena. Em janeiro de 1967, concluiu seu mandato de vereador e, em seguida, assumiu uma cadeira no Legislativo paranaense. Reelegeu-se sucessivamente, na mesma legenda, nos pleitos de 1970, 1974 e 1978. Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a consequente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), que sucedeu a Arena no apoio ao governo. Na Assembleia Estadual, foi presidente da mesa durante os anos de 1979 e 1980. Neste último ano, disputou a presidência do PDS paranaense que, ao final, coube ao deputado federal Norton Macedo. Foi nomeado, então, pelo governador Nei Braga (1979-1982), chefe da Casa Civil do estado do Paraná. Licenciou-se do seu mandato de deputado estadual para assumir o cargo, que ocupou até 1981, quando retornou à Assembleia.

No pleito de novembro de 1982, elegeu-se deputado federal pelo seu estado na legenda do PDS. Em janeiro de 1983, encerrou seu mandato na Assembleia Legislativa para, em fevereiro, assumir uma cadeira na Câmara dos Deputados, onde integrou a Comissão de Agricultura e Política Rural e, na condição de suplente, a Comissão do Interior.

Em 25 de abril de 1984, pronunciou-se contra a emenda Dante de Oliveira que, apresentada na Câmara, propôs o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República em novembro daquele ano. Como a emenda não obteve o número de votos necessários à sua aprovação — faltaram 22 para que o projeto pudesse ser encaminhado à apreciação pelo Senado —, a eleição para presidente seria decidida pela via indireta. Na disputa à presidência da República ocorrida no Colégio Eleitoral em 15 de janeiro de 1985, Fabiano Braga Cortes votou em Tancredo Neves, candidato da Aliança Democrática — uma união do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do PDS abrigada na Frente Liberal — em oposição ao candidato do regime militar, Paulo Maluf, que acabou sendo derrotado. Apesar de eleito, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência em função de uma doença, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto no cargo foi o vice José Sarney, que exercia interinamente a função desde 15 de março daquele ano.

Em março de 1985, Fabiano saiu do PDS e se filiou ao Partido da Frente Liberal (PFL), sendo eleito como o primeiro presidente da comissão executiva da nova agremiação. Nas eleições de novembro de 1986, candidatou-se a uma vaga no Senado na condição de constituinte. Mas como não foi eleito, deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1987, ao final da legislatura, e não disputou mais qualquer cargo eletivo.

Tornou-se diretor da Itaipu Binacional em 1989, aí permanecendo até 1992. Retornou à empresa em 1995, na condição de diretor administrativo na gestão do diretor geral Euclides Scalco, filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), e ocupou o cargo até abril de 2002. Nesse ano foi coordenador de campanha de Beto Richa (PSDB) ao governo do estado do Paraná. No pleito de outubro, Richa terminou as eleições em terceiro lugar, atrás do governador eleito, Roberto Requião (PMDB), e do segundo colocado, Álvaro Dias, do Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Casou-se com Glaci Gubert Cortes, com quem teve três filhos. Um deles, Felipe Braga Cortes, foi vereador por três mandatos consecutivos em Curitiba (2003-2004, 2005-2009, 2009-2013). Outro filho, Fabiano Braga Cortes Filho, foi secretário de Comunicação Social de Curitiba na gestão do prefeito Cássio Taniguchi e coordenador das campanhas eleitorais de Beto Richa (PSDB) a partir de 2004.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Folha de S. Paulo (13/1/85, 31/1/87); INF. FAM.; Portal Felipe Braga Cortes http://www.felipebragacortes.com.br/ acesso em 10/13/09; TRIB. REG. ELEIT. PR; Veja (5/11/80).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados