CORTEZ, DOMINGOS MATOS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CORTEZ, Domingos Matos
Nome Completo: CORTEZ, DOMINGOS MATOS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
CORTEZ, DOMINGOS MATOS

CORTEZ, Domingos Matos

*militar; comte. CFN 1977-1984.

 

Domingos Matos Cortez nasceu em São Luís no dia 17 de setembro de 1925, filho de Manuel Gomes Cortez Neto e de Maria do Rosário de Matos.

Sentou praça em 30 de março de 1944. Em janeiro de 1946 foi declarado guarda-marinha fuzileiro do corpo de Armada. Em abril, foi designado para servir no navio-escola Almirante Saldanha, onde permaneceu até janeiro de 1947. Nesse mesmo mês foi indicado para servir no Corpo de Fuzileiros Navais (CFN), além de ter sido promovido a segundo-tenente. Em abril foi indicado para fazer o estágio para segundos-tenentes fuzileiros no Centro de Aperfeiçoamento e Especialização (CAE), em Realengo (RJ). Em janeiro de 1948, concluído o estágio, foi transferido para o contratorpedeiro Bertioga, no porto de Recife. Em setembro, foi designado para o comando da Companhia de Sapadores, do quartel do CFN. Ainda em setembro foi promovido ao posto de primeiro-tenente.

Ajudante de ordens do comandante-geral do CFN entre janeiro de 1950 e janeiro do ano seguinte, nesse mês embarcou no cruzador Almirante Tamandaré. Transferido para o cruzador Barroso em novembro de 1951, em maio de 1952 foi promovido a capitão-tenente. Em novembro foi nomeado comandante da Companhia de Corneteiros e Tambores da Guarnição do Quartel Central.

Em abril de 1953, foi designado instrutor do curso de Fuzileiros Navais na Guanição do Quartel Central. Em maio do ano seguinte, foi designado ajudante de ordens e encarregado do supervisor de comunicações. Em fevereiro de 1956, passou a assistente do comandante-geral do curso de fuzileiros navais. Em maio, foi promovido a capitão-de-corveta. Em julho de 1957, assumiu a subchefia da 1ª Seção do Estado-Maior do CFN, cumulativamente. Em maio de 1959, concluiu o curso preliminar de comando para fuzileiros navais. Em julho foi promovido ao posto de capitão-de-mar-e-guerra. Em seguida, assumiu em caráter interino o cargo de delegado do Comando do V Distrito Naval (DN), sediado em Florianópolis. Em outubro foi designado para servir no Comando Geral do CFN.

Ao longo de 1960 fez o curso de aperfeiçoamento de oficiais da Escola de Aperfeiçamento de Oficiais do Exército. Em dezembro iniciou o curso de comando para fuzileiros navais, da Escola de Guerra Naval (EGN), concluindo-o em fins de 1961. Em janeiro de 1962, passou a servir no Estado-Maior da Armadas (EMA), onde assumiu a função de ajudante da Divisão de Abastecimento.

Foi indicado para fazer o curso de guerra revolucionária, realizado no Estado-Maior do Exército (EME) a partir de 31 de agosto de 1962. Em setembro de 1963, concluiu o curso superior de comando para fuzileiros navais. Em julho do ano seguinte, foi designado para o  Senior Marine Corps Course, em Quantico, Estados Unidos, concluindo-o em maio de 1965. Em julho retornou ao Brasil, sendo designado para oficial-de-gabinete do ministro da Marinha, almirante Paulo Bosísio. Em dezembro foi promovido a capitão-de-mar-e-guerra.

Em março de 1966 foi nomeado chefe da 3ª Seção do Estado-Maior, permanecendo no cargo até agosto do mesmo ano. Em fevereiro de 1967, foi indicado para o Curso de Estado-Maior e Comando das Forças Armadas, concluindo-o em dezembro quando foi designado para a tropa de reforço da Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE). Em fevereiro assumiu a função de comandante dessa tropa.

Em agosto de 1969, foi nomeado comandante do Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília. Em fevereiro de 1972, foi indicado para o Curso Superior de Guerra, na escola de mesmo nome (ESG). Em novembro foi promovido a contra-almirante, e no mês seguinte concluiu o curso, sendo em conseqüência designado para o CFN. Ainda em dezembro foi nomeado chefe do Estado-Maior do CFN. Em dezembro de 1974, foi desligado desse comando e nomeado comandante da Divisão Anfíbia da FFE. Em setembro de 1975, assumiu as funções de comandante da Força de Desembarque, para a execução da Operação Dragão XI, por determinação do comandante de Operações Navais. Membro efetivo da Comissão de Promoções de Oficiais da Marinha desde janeiro de 1976, em abril seguinte deixou o comando da Divisão Anfíbia para assumir a chefia do Comando de Apoio do CFN. Em novembro de 1977, foi promovido a vice-almirante e em dezembro assumiu o comando-geral do CFN. Almirante-de-esquadra em novembro de 1980, em dezembro de 1984 deixou o comando da FFE. Permaneceu agregado até janeiro de 1985, quando foi transferido para a reserva remunerada, abandonando desde então a vida pública.

Faleceu no Rio de Janeiro, no dia 30 de março de 1999.

Era casado com Maria Teresa Carneiro de Melo, com quem teve um casal de filhos.

 

FONTES: CURRIC. BIOG.; Estado de S. Paulo (26/11/81, 27/7/84); Globo (9/8/84, 6/4/99); INF. FAM.; Jornal do Brasil (9/8/84).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados