DANILO DUARTE DE MATOS AREOSA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: AREOSA, Danilo
Nome Completo: DANILO DUARTE DE MATOS AREOSA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
AREOSA, DANILO

AREOSA, Danilo

*gov. AM 1967-1971.

 

Danilo Duarte de Matos Areosa nasceu em Manaus no dia 24 de julho de 1921, filho do comendador Antônio Duarte de Matos Areosa e de Carlota Areias Matos Areosa.

Fez os cursos de humanidades, comercial e de contabilidade em Lisboa, completando os estudos no Brasil.

Iniciou suas atividades profissionais na firma Matos Areosa e Cia. Ltda., de propriedade de sua família, com atuação no ramo de seguros. Em 1947 foi eleito presidente do Comitê Amazonense de Seguros, função que exerceria até 1966, integrando também de 1948 a 1954 o conselho consultivo do Serviço Social do Comércio (Sesc) do Amazonas. Em 1953, passou a presidir o conselho regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), função que exerceria até 1966. Membro do grupo de estudos da subcomissão de crédito e comércio do Senac em 1954, a partir de dezembro de 1955 integrou o Conselho Rodoviário Estadual do Amazonas.

Em 1956 passou a presidir o conselho regional do Sesc do Amazonas, permanecendo no cargo até 1966. Em 1958 tornou-se suplente do conselho fiscal da Confederação Nacional do Comércio (CNC) no Amazonas, condição ratificada em 1962. Vice-presidente da Legião Brasileira de Assistência, como representante da Federação do Comércio do Amazonas, foi nomeado, após o movimento político-militar de março de 1964, secretário da Fazenda do Amazonas pelo governador Artur César Ferreira Reis. Ainda em 1964, tornou-se vice-presidente da CNC e membro do Conselho de Desenvolvimento do Amazonas, que deixou em 1966.

Em setembro de 1966 foi eleito, na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena) e pelo voto da Assembléia Legislativa amazonense, para suceder a Artur César Ferreira Reis no governo do Amazonas. Empossado em janeiro de 1967, exerceu o cargo até março de 1971, quando foi substituído por João Válter de Andrade.

Foi também presidente da Associação dos Representantes Comerciais do Amazonas e membro do conselho de representantes da CNC no Rio de Janeiro. Respondeu ainda pelas secretarias de Interior e Justiça, de Educação e Cultura, de Agricultura, de Indústria e Comércio (atual da Produção) e de Coordenação e Planejamento do estado do Amazonas. Foi diretor-presidente da Companhia Nacional de Borrachas; diretor-executivo da Sharp do Brasil, com matriz em Manaus; presidente da C. Almeida Ferragens S.A.; membro do conselho fiscal da Companhia de Eletricidade de Manaus; tesoureiro e secretário do Sindicato do Comércio Atacadista do Amazonas e presidente do Sindicato das Indústrias Eletrônicas do Amazonas.

Faleceu em 1983.

Era casado com Violeta Cardoso de Matos Areosa, com quem teve três filhos.

Publicou artigos em jornais e revistas sobre temas econômicos e comunitários.

 

FONTES: BEHAR, E. Vultos; CONF. NAC. COMÉRCIO. 20; CORRESP. CONF. NAC. COMÉRCIO; COUTINHO, A. Brasil; Encic. Mirador; Grande encic. Delta; ROQUE, C. Grande; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (8).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados