DOMINGOS, MURILO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: DOMINGOS, Murilo
Nome Completo: DOMINGOS, MURILO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
DOMINGOS, Murilo [PRONTO]

DOMINGOS, Murilo

*dep. fed. MT 1996 -

 

Murilo Domingos nasceu em Jardinópolis (SP) no dia 21 de fevereiro de 1941, filho de Elias Domingos e Nair Rassi Domingos.

Entre 1962 e 1966, fez o curso de direito na Faculdade de Direito Laudo de Camargo, em Ribeirão Preto (SP).

Transferindo-se para Mato Grosso, em 1986 filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), no qual permaneceria até 1992. Entre 1988 e 1990, foi o primeiro vice-presidente do diretório regional. Em 1992, filiou-se ao Partido da Reconstrução Nacional (PRN), partido que elegera o presidente Fernando Collor de Melo, o qual, em setembro desse mesmo ano, foi afastado do cargo sob acusação de corrupção.

De volta ao PTB em 1993, em outubro de 1994 Murilo Domingos concorreu a uma vaga de deputado federal, conseguindo apenas uma suplência. Em 1995, tornou-se segundo vice-presidente do diretório regional do partido.

Entre 28 de março a 31 de julho de 1996, exerceu pela primeira vez o mandato de deputado federal, ocupando a vaga de Augustinho Freitas, acusado de ter cometido fraude eleitoral. Em 30 de outubro de 1996, reassumiu e foi efetivado, em virtude do indeferimento, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do registro da candidatura do deputado Augustinho Freitas. Veio a integrar as comissões de Fiscalização Financeira e Controle e a de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática.

Em junho de 1996, votou a favor da criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) – que substituiu o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF) –, imposto de 0,2% sobre transações bancárias criado como fonte complementar de recursos para a saúde.

Em janeiro/fevereiro de 1997, votou a favor da emenda da reeleição para cargos executivos. Nessa ocasião, barganhou com o governo o voto favorável à emenda em troca da liberação de verbas para a conclusão de hospitais nas cidades mato-grossenses de Cáceres e Rondonópolis e o direito de indicar um diretor da Companhia Telefônica de Mato Grosso (Telemat).

No mês de junho de 1997, encaminhou uma emenda ao projeto do governo que autorizava a concessão de subsídios à produção de borracha. Domingos, representando os interesses dos produtores, propôs um aumento no teto do subsídio.

Em novembro 1997, pronunciou-se a favor da quebra da estabilidade do servidor público, item da reforma administrativa que permite a demissão de servidores públicos por mal desempenho e/ou excesso de gastos com a folha de pagamento.

Nas eleições de outubro de 1998, reelegeu-se pelo PTB. Em novembro, votou a favor do teto de 1.200 reais para aposentadorias no setor público e do estabelecimento de idade mínima e tempo de contribuição para o setor privado, itens que definiram a reforma da previdência.

Assumiu o novo mandato em fevereiro de 1999.

Foi diretor e vice-presidente da Associação Comercial de Cuiabá.

Casou-se com Teresinha de Jesus Carvalho Domingos, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Estado de São Paulo (12/6/97); Folha de São Paulo (9/1/97, 29/9 e 6/11/98); TRIB.SUP.ELEIT. Dados (1998).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados