ESPERIDIAO LOPES DE FARIAS JUNIOR

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FARIAS, Esperidião
Nome Completo: ESPERIDIAO LOPES DE FARIAS JUNIOR

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FARIAS, ESPERIDIÃO

FARIAS, Esperidião

*const. 1946; sen. AL 1954.

 

Esperidião Lopes de Farias Júnior nasceu em São Luís do Quitunde (AL) no dia 28 de setembro de 1899, filho de Esperidião Lopes de Farias e de Cândida Lopes Lamenha Lins.

Fez seus primeiros estudos no Colégio 15 de Maio, ingressando depois na Escola de Agronomia de Socorro (PE), pela qual se diplomou engenheiro agrônomo em 1920.

Proprietário rural em Alagoas, foi ajudante de inspetor agrícola em Minas Gerais e diretor da Fazenda de Sementes de União dos Palmares (AL), antes de tornar-se prefeito do município alagoano de Murici. Durante a permanência de Ismar de Góis Monteiro no cargo de interventor federal em Alagoas (1941-1945), exerceu o cargo de secretário da Fazenda do estado. Com a redemocratização do país que se seguiu ao final do Estado Novo, elegeu-se em dezembro de 1945 deputado por Alagoas à Assembléia Nacional Constituinte na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Iniciando o mandato em fevereiro de 1946, renunciou no mês seguinte a fim de assumir, em abril, a presidência do Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA).

No início de sua gestão à frente do IAA, enfrentou dificuldades decorrentes da identificação que então se fazia entre o dirigismo econômico característico da entidade e o regime ditatorial que acabara de ser abolido. Embora tenham surgido em sua administração boatos de que o IAA seria extinto, conseguiu manter o equilíbrio entre produção e consumo por meio da política intervencionista do instituto. Ao mesmo tempo, introduziu algumas mudanças na administração do IAA, entre elas a reestruturação de todos os serviços e do quadro de pessoal, a revisão das promoções, a introdução de contabilidade pública e a criação de uma comissão permanente de inspeção nos órgãos regionais da autarquia.

Em janeiro de 1947 foi eleito suplente do senador Ismar de Góis Monteiro, permanecendo na presidência do IAA até maio do ano seguinte. Em abril de 1954, foi convocado a assumir uma cadeira no Senado, ocupando-a apenas até outubro do mesmo ano.

Abandonando a vida política passou a se dedicar à administração da sua fazenda em Murici (AL).

Faleceu em Maceió no dia 28 de setembro de 1987.

Era casado com Carmelita Omena.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CISNEIROS, A. Parlamentares; Grande encic. Delta; INF. Eraldo Farias; OLIVEIRA, H. Presidentes.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados