ESTELIO DE MENDONCA MAROJA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: MAROJA, Estélio
Nome Completo: ESTELIO DE MENDONCA MAROJA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
MAROJA, ESTÉLIO

MAROJA, Estélio

*dep. fed. PA 1963-1966 e 1971-1975.

 

Estélio de Mendonça Maroja nasceu em Bragança (PA) no dia 12 de dezembro de 1913, filho do desembargador Manuel Maroja Neto e de Inês de Mendonça Maroja. Seu pai foi presidente do Tribunal de Justiça do Pará e interventor no estado de 1945 a 1946.

Estudou no Colégio Pais de Carvalho, em Belém, bacharelando-se pela Faculdade de Direito do Pará em janeiro de 1934. Em 1936 tornou-se professor de português e de direito marítimo da Escola de Marinha Mercante, passando a atuar em 1941 como juiz do Conselho Regional do Trabalho do Pará, função que exerceu até 1943.

Em 1950 ingressou na vida política apoiando o general Alexandre Zacarias de Assunção, candidato afinal vitorioso ao governo do estado na legenda da Coligação Democrática Paraense, formada pela União Democrática Nacional (UDN), o Partido Libertador (PL), o Partido Social Trabalhista (PST) e o Partido Social Progressista (PSP). Nomeado em 1951 diretor-geral do Departamento de Finanças do estado, tornou-se no ano seguinte secretário de Economia e Finanças do Pará, exercendo essa função até 1953.

Representante de seu estado na Comisão de Planejamento da Superintendência do Plano de Valorização Econômica da Amazônia (SPVEA) de 1953 a 1955, elegeu-se no pleito de outubro de 1954 deputado estadual na legenda do PSP. Assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte, licenciou-se em 1958 para assumir a Secretaria de Finanças do Pará durante o governo de Joaquim de Magalhães Barata, cargo pelo qual respondeu até 1959.

No pleito de outubro de 1962 elegeu-se deputado federal, mais uma vez na legenda da Coligação Democrática Paraense, constituída então pelo PSP, o Partido Trabalhista Nacional (PTN), o Partido Rural Trabalhista (PRT), o Partido Socialista Brasileiro (PSB) e o Movimento Trabalhista Renovador (MTR). Assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte, integrou as comissões de Economia e de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados e a partir de julho de 1964 tornou-se vice-líder do PSP. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965), participou das articulações que levariam à criação da Aliança Renovadora Nacional (Arena). Ao longo da legislatura, elaborou projetos instituindo o Subplano de Desenvolvimento da Ilha de Marajó e a Comissão de Defesa da Castanha do Pará, formulou propostas para a criação de hospitais regionais e para a constituição da Companhia de Produção Mineral da Amazônia, propondo ainda a implantação de rodovias ligando a Amazônia ao Centro-Sul do país.

Em janeiro de 1966 interrompeu o mandato para assumir no mês seguinte a prefeitura de Belém, à frente da qual permaneceu até 1970. Em novembro desse ano reelegeu-se deputado federal na legenda da Arena e, assumindo sua cadeira em fevereiro de 1971, tornou-se membro efetivo das comissões de Economia e de Valorização Econômica da Amazônia e suplente da Comissão de Educação e Cultura. Exerceu o mandato até janeiro de 1975, quando deixou em definitivo a Câmara dos Deputados.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 22 de maio de 1978.

Foi casado com Maria Ieda de Mendonça Maroja, com quem teve 12 filhos.

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (7); CÂM. DEP. Relação nominal dos senhores; Jornal do Brasil (23/5/78); Perfil (1972); ROQUE, C. Grande; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2, 6 e 9).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados