FERNANDO DANTAS FERRO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FERRO, Fernando
Nome Completo: FERNANDO DANTAS FERRO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FERRO, FERNANDO

FERRO, Fernando

*dep. fed. PE 1995-.

Fernando Dantas Ferro nasceu em Bom Conselho (PE), no dia 5 de setembro de 1951, filho de Linduarte Oliveira Ferro e de Eudorica Dantas Ferro.

Monitor da cadeira de física da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Pernambuco (Ufpe) e estagiário na Empresa de Manutenção e Reparos de Motores Elétricos, no Recife, e na Alcoa Alumínios S.A., em Igarassu (PE), concluiu o curso de engenharia elétrica na Ufpe, em 1975.

Em 1976 foi contratado para trabalhar nos escritórios da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (CHESF), em Recife, e em 1978 fez o curso de pós-graduação em sistemas elétricos de potência, na Escola Federal de Engenharia de Itajubá (MG).

Filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), desde 1974, com o fim do bipartidarismo, em novembro de 1979, e a conseqüente reformulação partidária, ingressou no Partido dos Trabalhadores (PT), exercendo a presidência do seu diretório municipal, em Garanhuns (PE), de 1981 a 1983, quando passou a fazer parte da diretoria do Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco. Tesoureiro do diretório estadual do PT, de 1984 a 1986, e seu presidente, de 1986 a 1992, integrou o diretório nacional do partido, de 1988 a 1992.

Nas eleições municipais de outubro desse ano, elegeu-se vereador na legenda do PT e deixou o emprego na CHESF para assumir o mandato na Câmara de Vereadores de Recife no início de 1993. Vice-líder da bancada, participou dos trabalhos legislativos como presidente da Comissão dos Direitos Humanos e titular das comissões de Legislação e Justiça, e de Políticas Públicas.

No pleito de outubro de 1994 candidatou-se a deputado federal. Eleito, renunciou ao mandato de vereador, assumindo a cadeira na Câmara em fevereiro do ano seguinte. Titular da Comissão de Minas e Energia, nas votações das emendas constitucionais propostas pelo governo Fernando Henrique Cardoso, em 1995, seguiu a orientação do partido e fez obstrução durante a sessão em que foi aprovada a quebra do monopólio estatal na distribuição de gás canalizado; votou pela manutenção da intervenção do estado nos setores de telecomunicações, exploração de petróleo e navegação de cabotagem, e contra a mudança no conceito de empresa nacional. Opôs-se também à prorrogação do Fundo Social de Emergência (FSE), rebatizado de Fundo de Estabilização Fiscal (FEF), que permitiria ao governo gastar até 20% da arrecadação vinculada às áreas de saúde e de educação.

Em junho de 1996, foi contra a criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que substituiu o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira (IPMF), o chamado “imposto do cheque”, fonte suplementar de recursos destinados à saúde.

Vice-líder do bloco formado pelo PT, Partido Democrático Trabalhista (PDT) e Partido Comunista do Brasil (PCdoB), em janeiro/fevereiro de 1997 deixou de registrar presença, na tentativa de obstruir a votação da emenda constitucional que previa a reeleição de presidente da República, governadores e prefeitos.

Votou contra a quebra da estabilidade para os servidores da União, estados e municípios, e o teto de 1.200 reais, para as aposentadorias no setor público, e os critérios de idade mínima e tempo de contribuição, para os trabalhadores no setor privado.

Em outubro de 1998 reelegeu-se, iniciando o novo mandato em fevereiro de 1999.

No pleito de 2002, reelegeu-se deputado federal na legenda do PT, e iniciou seu 3º mandato consecutivo em fevereiro de 2003. Nesta legislatura, foi vice-líder e líder do PT na Câmara, e, em 2005, foi nomeado secretário de Meio Ambiente do partido.

No pleito de 2006, reelegeu-se mais uma vez ao cargo de deputado federal, sempre na legenda do PT. Iniciou o novo mandato em fevereiro de 2007. Nesta legislatura, foi vice-líder do partido na Câmara.

Ao longo de seus mandatos na Câmara dos Deputados, foi titular de várias comissões, entre elas as permanentes de Minas e Energia e de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado

Casado com Teresa Cristina Elias Cardoso, teve quatro filhos.

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1995-1999); Biografias de deputados. (Disponível em: http://www2.camara.gov.br/internet/deputados/biodeputado/index.html?nome=FERNANDO+FERRO&leg=53; acessado em: 24/11/2009); DIAP. Quem; Estado de S. Paulo (24/7/96); Folha de S. Paulo (31/1, 15/6 e 8/8/95, 14/1/96, 14, 25 e 30/1 e 28/4/97, 29/10/98); Globo (19/4/96, 29/1, 8 e 9/5/97 e 10/10/98); Jornal do Brasil (9/5/97); Portal da Câmara dos Deputados. Disponível em : <http://www2.camara.gov. br/internet/deputados/biodeputado/index.html?nome=FERNANDO+FERRO&leg=53>. A-cesso em : 24 nov. 2009; TRIB. REG. ELEIT. PE. Dados (1998); Veja (14/5/97).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados