FIGUEIREDO, CARLOS MAXIMIANO DE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FIGUEIREDO, Carlos Maximiano de
Nome Completo: FIGUEIREDO, CARLOS MAXIMIANO DE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FIGUEIREDO, CARLOS MAXIMIANO DE

FIGUEIREDO, Carlos Maximiano de

*diplomata; emb. Bras. Bolívia 1939-1941.

 

Carlos Maximiano de Figueiredo nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 21 de fevereiro de 1894.

Bacharelou-se em direito pela Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais de sua cidade natal. Iniciou suas atividades profissionais em 1912 exercendo a função de auxiliar de escrita do Departamento Nacional de Saúde Pública, passando no ano seguinte ao cargo de praticante de segunda classe da Diretoria Geral dos Correios.

Ingressou na carreira diplomática em 1915, servindo na secretaria do Ministério das Relações Exteriores até o ano seguinte, quando foi designado auxiliar de gabinete do ministro das Relações Exteriores, Lauro Müller. Promovido a secretário de segunda classe em 1918, foi nomeado em dezembro desse ano encarregado de negócios da embaixada brasileira em Caracas, na Venezuela, ali permanecendo até novembro de 1919, quando foi removido, nas mesmas funções, para Berlim. Transferido para o Vaticano em 1923, ali desempenhou as mesmas funções até 1926, sendo nesse ano mandado, ainda como encarregado de negócios, para Estocolmo, na Suécia. Nesse país permaneceu de julho a dezembro de 1926, indo em seguida para Santiago do Chile, onde permaneceu até 1928. Foi então transferido, ainda como encarregado de negócios, para Havana, em Cuba, ocupando esse posto até agosto de 1929. Nesse mesmo ano foi nomeado conselheiro especial de embaixada com a função de representar o Brasil na posse de Gerardo Machado, presidente de Cuba. Foi removido a seguir para Londres, onde atuou como encarregado de negócios da embaixada brasileira na Inglaterra de setembro de 1929 a setembro do ano seguinte.

Retornando ao Brasil em agosto de 1931, exerceu em caráter interino a função de chefe do Serviço de Publicações do Itamarati, sendo nomeado no ano seguinte delegado ao II Congresso de Contabilidade, realizado em abril. Em outubro de 1932 tornou-se oficial-de-gabinete do ministro Afrânio de Melo Franco.

Chegando a secretário de primeira classe em 1933, representou o Brasil no X Congresso Postal Universal, realizado em janeiro de 1934 na cidade do Cairo, no Egito, exercendo aí de fevereiro a julho as funções de encarregado de negócios do Brasil. Em setembro de 1934 foi transferido para o Vaticano, onde novamente exerceu as funções de encarregado de negócios. Deixando a Santa Sé, passou a servir a partir de 1936 em Montevidéu, aí permanecendo até 1938. Promovido nesse ano a ministro de segunda classe, integrou em agosto do ano seguinte a Comissão de Eficiência do Itamarati, sendo nomeado em dezembro embaixador extraordinário e ministro plenipotenciário do Brasil na Bolívia. Exerceu essa função até janeiro de 1941, quando retornou ao Brasil. Em maio seguinte, assumiu a chefia da Divisão de Cerimonial do Itamarati, na qual se manteve até julho de 1942. Nesse mês foi comissionado como embaixador extraordinário à posse do presidente da República Dominicana, Rafael Leonidas Trujillo y Molina. Em 1942, ainda, foi nomeado embaixador extraordinário e ministro plenipotenciário em Havana, aí permanecendo até 1943, quando foi removido para a embaixada brasileira em Washington. Em setembro desse ano, participou da comissão interina criada pela Conferência de Alimentação e Saúde, com sede nessa cidade. Em julho de 1944 foi o representante do Brasil no III Congresso Internacional Florestal, reunido em Helsinque, na Finlândia, permanecendo nesse país até 1949.

Promovido em setembro de 1950 a ministro de primeira classe, foi comissionado como embaixador do Brasil em Bogotá, na Colômbia, ocupando esse cargo de dezembro desse ano até maio de 1954, quando foi transferido para o Cairo. Aí desempenhou as funções de embaixador até fevereiro de 1959, data em que se aposentou.

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro no dia 6 de agosto de 1973.

 

 

FONTES: ARQ. GETÚLIO VARGAS; GUIMARÃES, A. Dic.; Jornal do Brasil (7/8/73); LOVE, J. Regionalismo; MIN. REL. EXT. Anuário (1961).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados