FITTIPALDI, ITALO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FITTIPALDI, Ítalo
Nome Completo: FITTIPALDI, ITALO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FITTIPALDI, Ítalo 1288

FITTIPALDI, Ítalo 

* dep. fed. SP 1964-1966 e 1967-1975.

 

Ítalo Fittipaldi nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 18 de maio de 1926, filho do livreiro e editor Savério Fittipaldi e de Rosa Puppio Fittipaldi.

Em 1937, transferiu-se com sua família para São Paulo, onde o pai fundou a Editora das Américas. Ativo na empresa da família juntamente com o irmão Mário, que mais tarde chegaria a presidente da Câmara Brasileira do Livro, ingressou na Faculdade de Direito da Universidade Católica de São Paulo.

Eleito em 1954 vereador à Câmara Municipal paulistana, assumiu o mandato em fevereiro de 1955, mesmo ano em que se formou advogado. Entre 1957 e 1958, durante a gestão de Ademar de Barros na prefeitura paulistana, exerceu o cargo de secretário municipal de Educação e Cultura, e se reelegeu em 1958, renovando seu mandato de vereador até janeiro de 1963. Durante as duas legislaturas, foi líder do governo, vice-presidente e presidente da Câmara dos Vereadores.

No pleito de outubro de 1962, elegeu-se suplente de deputado federal por São Paulo na legenda da coligação do Partido Social Progressista (PSP), ao qual era filiado, com o Partido Social Democrático (PSD). Foi convocado a assumir uma cadeira na Câmara Federal em 7 de abril de 1964, poucos dias depois do movimento político-militar de 31 de março, que depôs o presidente João Goulart (1961-1964), nela permanecendo até outubro de 1966. Em conseqüência da extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº. 2 (27/10/1965) e da posterior instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar, em cuja legenda elegeu-se deputado federal por São Paulo em novembro de 1966, retornando à Câmara em fevereiro do ano seguinte. Membro da Comissão de Finanças da Câmara, reelegeu-se em novembro de 1970.

Na legislatura iniciada em 1971, participou da Comissão Especial de Reforma Tributária, integrou a Comissão de Constituição e Justiça e foi suplente da Comissão de Finanças. Ainda no mesmo período, fez o curso da Escola Superior de Guerra (ESG).  Candidato a nova reeleição em 1974, obteve apenas uma suplência, deixando a Câmara em janeiro seguinte, ao final da legislatura. Nomeado depois superintendente do Instituto de Previdência do Serviço Público Estadual de São Paulo (Ipesp), exonerou-se deste cargo em fevereiro de 1976 por discordar do conselho de administração  do mesmo órgão. Contudo, voltou a administrar o Ipesp entre 1979 e 1981.

Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), agremiação sucessora da Arena, e nessa legenda concorreu a uma cadeira na Câmara dos Deputados pelo estado de São Paulo, no pleito de novembro de 1982, obtendo apenas uma suplência.

Não candidatando-se mais a nenhum cargo eletivo, retornou às atividades de advogado, como sócio no escritório de Carlos Machado Medeiros, filho do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Carlos Medeiros.

Casou-se com Iolanda Fittipaldi.

Publicou Biblioteca para o Brasil (1966), Considerações sobre o Imposto de Circulação de Mercadorias (1967) e ICM e suas complicações (A Babel tributária) (1968).

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1963-1967, 1967-1971 e 1971-1975); INF. BIOG.; Jornal do Brasil (13/2/76, 14/2/76); NÉRI, 5. 16; Perfil (1972).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados