FONTES, AMANDO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FONTES, Amando
Nome Completo: FONTES, AMANDO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FONTES, AMANDO

FONTES, Amando

*dep. fed. SE 1935-1937; const. 1946; dep. fed. SE 1946-1955.

 

Amando Fontes nasceu em Santos (SP) no dia 15 de maio de 1899, filho do farmacêutico Turíbio da Silveira Fontes e da professora Rosa do Nascimento Fontes.

Com a morte do pai, quando contava apenas cinco meses, sua família mudou-se para Aracaju, de onde era oriunda. Nessa cidade fez os primeiros estudos numa escola particular, ingressando em 1909 no Ateneu Sergipense. Em 1914 tornou-se revisor do Diário da Manhã, também em Aracaju, e, em 1919, entrou para a Escola de Medicina no Rio de Janeiro, no então Distrito Federal, abandonando-a mais tarde. Em 1922, através de concurso público, tornou-se agente fiscal do imposto de consumo do Ministério da Fazenda, em Salvador. Bacharelou-se em 1928 pela Faculdade de Direito da Bahia.

Após a vitória da Revolução de 1930, transferiu-se mais uma vez para o Rio de Janeiro, onde dedicou-se à advocacia e passou a freqüentar o círculo do pensador católico Jackson de Figueiredo, de quem era amigo. Retornando à capital sergipana, elegeu-se deputado federal por Sergipe no pleito de outubro de 1934. Empossado em maio do ano seguinte, permaneceu na Câmara até o dia 10 de novembro de 1937, quando, com o advento do Estado Novo (1937-1945), os órgãos legislativos do país foram suprimidos.

Com a reconstitucionalização do país, elegeu-se, em dezembro de 1945, deputado por Sergipe à Assembléia Nacional Constituinte na legenda da coligação formada pela União Democrática Nacional (UDN) e o Partido Republicano (PR). Assumindo sua cadeira em fevereiro de 1946, participou dos trabalhos constituintes e, com a promulgação da nova Carta (18/9/1946) e a transformação da Constituinte em Congresso ordinário, permaneceu no exercício do mandato na legislatura que se seguiu. No pleito de outubro de 1950 reelegeu-se na legenda do PR, exercendo o mandato até janeiro de 1955, quando deixou definitivamente a Câmara dos Deputados.

Foi professor de escolas técnicas secundárias no Distrito Federal e pertenceu à Academia Petropolitana de Letras.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 1º de dezembro de 1967.

Era casado com Corália Teixeira Fontes, com quem teve seis filhos.

Publicou Os corumbás (romance, 8ª ed., 1933) e Rua do Siriri (romance, 1937).

 

 

FONTES: COUTINHO, A. Brasil; Grande encic. Delta; MENESES, R. Dic.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1 e 2); VELHO SOBRINHO, J. Dic.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados