FRANCISCO CARLOS DE CASTRO NEVES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: NEVES, Castro
Nome Completo: FRANCISCO CARLOS DE CASTRO NEVES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
NEVES, CASTRO

NEVES, Castro

*min. Trab. 1961.

 

Francisco Carlos de Castro Neves nasceu em Piracicaba (SP) no dia 25 de abril de 1914.

Fez os estudos primários em sua cidade natal e na capital paulista. Ingressando em 1932 na Faculdade de Direito de São Paulo, formou-se em 1936, especializando-se em direito trabalhista.

Após o fim do Estado Novo (1937-1945), elegeu-se em janeiro de 1947 deputado à Assembléia Constituinte de São Paulo na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Participou dos trabalhos constituintes e, promulgada a nova Carta estadual, passou a exercer mandato ordinário na Assembléia Legislativa. Em 1950 teve papel destacado na elaboração do programa mínimo eleitoral do PTB para o pleito de outubro desse ano, no qual obteve uma suplência de deputado estadual. Ainda em 1950 atuou como jornalista, dirigindo por incumbência do então senador Getúlio Vargas o jornal A Noite, de São Paulo. Já durante o segundo governo constitucional de Vargas (1951-1954), participou, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, da fundação do jornal Última Hora, do qual foi diretor-adjunto. Em 1953 foi um dos criadores do Movimento 23 de Março — nome relativo à data marcada para as eleições para a prefeitura de São Paulo —, que promoveu a candidatura de Jânio Quadros, apoiado pelo Partido Democrata Cristão (PDC) e o Partido Socialista Brasileiro (PSB), lançando o slogan “O tostão contra o milhão”. Realizado o pleito, Jânio foi o vencedor.

Castro Neves organizou também a Rede de Emissoras Piratininga, que deixou para fazer a campanha de Jânio Quadros ao governo do estado de São Paulo no pleito de outubro de 1954. Foi presidente do comitê central pró-candidatura de Jânio e da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) até 1955. Já durante o governo de Jânio Quadros em São Paulo, iniciado em 1955, foi nomeado em 1957 para a Secretaria do Governo, cargo que, na época, detinha a coordenação política do Executivo estadual.

No ano seguinte participou ativamente da campanha de Carlos Alberto de Carvalho Pinto para governador de São Paulo, presidindo seu comitê central. Eleito, Carvalho Pinto governou o estado de 1959 a 1963. Presidente da Comissão de Imposto Sindical e da Comissão de Direito Social do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, Castro Neves foi nomeado, após posse de Jânio Quadros na presidência da República em janeiro de 1961, para assumir esse ministério, substituindo Olívio Sales Coelho. Na condição de ministro, pronunciou-se oficialmente a favor da separação dos sindicatos da tutela estatal. Com a renúncia de Jânio (25/8/1961), foi substituído por José Segadas Viana, que exerceu o cargo interinamente por um mês, transferindo-o em seguida para André Franco Montoro.

Castro Neves integrou o Conselho de Política Aduaneira de 1963 a 1965. Nesse mesmo período foi membro, inicialmente como suplente e depois como efetivo, da diretoria da Confederação Nacional da Agricultura (CNA).

Faleceu em outubro de 1974.

 

 

FONTES: CORRESP. MIN. TRAB.; Encic. Mirador; Gazeta, SP (30/1/61); Grande encic. Delta; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2); VÍTOR, M. Cinco.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados