FRANCISCO DE FREITAS CASTRO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CASTRO, Francisco
Nome Completo: FRANCISCO DE FREITAS CASTRO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

CASTRO, Francisco

*dep. fed. GO 1979-1983.

 

Francisco de Freitas Castro nasceu em Jaraguá (GO) no dia 25 de julho de 1934, filho de Benedito Soares de Castro e Ana das Neves de Freitas Castro.

Iniciou sua vida política em novembro de 1974, quando foi eleito deputado estadual pela Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar vigente no país desde abril de 1964. No início de 1975, depois de tomar posse de sua cadeira na Assembléia Legislativa, licenciou-se do cargo em 15 de março do mesmo ano para assumir a prefeitura municipal de Goiânia. Formado em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito de Anápolis em 1976, durante sua gestão na prefeitura implantou o primeiro sistema integrado de transporte de massas no país, fez uma reforma administrativa, promoveu a reclassificação de cargos do funcionalismo e duplicou a rede de ensino.

Em 1977 realizou viagem de estudos à República Federal da Alemanha, a convite do governo daquele país.

Em 1978, foi bem-sucedido ao candidatar-se a deputado federal, assumindo sua cadeira na Câmara em fevereiro do ano seguinte. No mês anterior, envolveu-se na morte do chacareiro Ângelo Cavalcanti da Silva. Segundo testemunhos relatados à imprensa e à polícia e divulgados pelo Jornal do Brasil, os dois entraram em luta corporal e Ângelo foi morto pelo irmão do deputado, José Américo de Castro, que também feriu o filho da vítima. Apesar de ter sido aberto inquérito policial, a imprensa local foi proibida de mencionar o caso.

Com a extinção do bipartidarismo e a conseqüente reformulação partidária, Francisco de Castro filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Ao longo de sua legislatura, foi membro da Comissão de Serviço Público e suplente da Comissão de Fiscalização Financeira e Tomada de Contas.

No pleito de novembro de 1982 disputou uma vaga para a Assembléia Legislativa de Goiás (Algo) pela legenda do PDS, conseguindo sua eleição. Nesse período participou da Comissão de Finanças da ALGO. Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1983, ao final da legislatura, e no mês seguinte ocupou sua cadeira no Legislativo estadual. No pleito de novembro de 1986, foi eleito suplente de deputado estadual constituinte, assumindo novo mandato em 16 de março de 1987. Neste primeiro momento, ocupou a primeira-secretaria da mesa diretora da Algo. Com a promulgação da Constituição federal em 5 de outubro de 1988, tiveram início no ano seguinte os trabalhos da Constituinte goiana, na qual Freitas Castro veio a integrar a Comissão de Sistematização. Deixou a Algo em março de 1991, ao final da legislatura.

Diretor econômico-financeiro da Centrais Elétricas de Goiás S.A. (Celg) a partir de 1994, no ano seguinte tornou-se secretário-geral do PMDB goiano, função que desempenharia até 1999. No primeiro semestre de 1995, foi vice-presidente da Celg e, entre julho a novembro de 1997, foi diretor administrativo da empresa. Presidente da Celg entre novembro e dezembro de 1998, neste último mês afastou-se das atividades públicas e dedicou-se à iniciativa privada, com a firma J. F. Empreendimentos e Participações, onde ainda atuava em 2009.

Pioneiro no ramo de supermercados em Goiás, foi diretor da Federação de Comércio do Estado de Goiás e do Sindicato do Comércio Varejista do Estado de Goiás, diretor e conselheiro da Associação Comercial e Industrial do Estado de Goiás; diretor da Federação Goiana de Futebol, membro do Lions Internacional – Distrito L-13 e diretor da Rádio Cidade de Jaraguá.

Foi casado com Nicácia de Oliveira Castro, com quem teve duas filhas. Casou-se pela segunda vez com Vanusa Pimentel de Morais, com quem teve dois filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983); INF. BIOG.; Jornal do Brasil (30/1/79); Portal da Assembléia Legislativa do Estado de Goiás disponível em  http://www.assembleia.go.gov.br/ .

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados