Francisco Roberto de Albuquerque

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ALBUQUERQUE, Francisco Roberto de
Nome Completo: Francisco Roberto de Albuquerque

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

ALBUQUERQUE, Francisco Roberto de

* militar

 Francisco Roberto de Albuquerque nasceu na cidade de São Paulo, no dia 17 de maio de 1937, filho de Francisco Pinheiro de Albuquerque e Florinda Scogliamiglio de Albuquerque.

Ingressou nas fileiras do Exército em 19 de outubro de 1953. Foi declarado Aspirante-a-Oficial da Arma de Artilharia em 19 de dezembro de 1958. Cursou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, em 1969, e concluiu a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército em 1977. Comandou o 2º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado, sediado em Itu (SP) nos anos de 1984 e 1985.

Exerceu o cargo de Assistente-Secretário do Comandante Militar da Amazônia do General-de-Exército Leônidas Pires Gonçalves, durante a presidência de José Sarney (1985-1990). No então Gabinete do Ministro do Exército, exerceu as funções de Chefe da Terceira Assessoria e Subchefe de Gabinete.

Foi também chefe da Comissão do Exército Brasileiro e adjunto do adido militar, em Washington (EUA); chefe do gabinete do Estado-Maior do Exército; comandante da 11ª Brigada de Infantaria Blindada; coordenador da Missão de Observadores Militares no Processo de Paz do conflito Equador/Peru; subchefe do Estado-Maior do Exército; secretário-geral do Exército; chefe do Departamento-Geral de Serviços e Secretário de Tecnologia da Informação.

Exerceu o cargo de Comandante Militar do Sudeste, sediado na capital paulista. Foi promovido ao posto em 31 de março de 2000, ao ser nomeado Comandante do Exército.

Em janeiro de 2003, assumiu o comando do Exército Brasileiro, como General-de-Exército, cargo que exerceu até março de 2007. Foi escolhido pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva através do critério da antiguidade entre os militares. Neste cargo implantou o Programa Excelência Gerencial (PEG-EB). O PEG seria uma ferramenta para aperfeiçoar a capacidade gerencial na operacionalidade do Exército, visando otimização dos processos, o gerenciamento dos projetos e a motivação de todos os seus integrantes.

Em outubro de 2004 representou o Exército em uma retratação pública por causa de comentários feitos na imprensa após a divulgação de fotos do jornalista Vladimir Herzog, morto no período da ditadura militar, pelo jornal Correio Braziliense. Segundo a primeira nota, as mortes que teriam ocorrido durante as operações de repressão política do período não poderiam ser comprovadas, pois o Ministério da Defesa enfatizava que não haveria documentos históricos para tanto. O presidente Lula considerou a nota do Exército sobre o caso Herzog, "impertinente, equivocada e inoportuna" e exigiu uma retratação pública do comandante da Força, que deixasse clara a discordância do governo a essa "manifestação isolada" do Exército. A retratação foi feita pelo comandante Albuquerque e dizia que "o Exército lamenta a morte do jornalista Vladimir Herzog  e não quer ficar reavivando fatos de um passado trágico que ocorreram no Brasil".

Atuando no comando do Exército, chegou a ser recebido pelo secretário geral da ONU, Kofi Annan, para tratar de assuntos relativos à presença das tropas brasileiras no Haiti.

Foi condecorado com a Ordem do Mérito Militar, Ordem do Mérito da Defesa, Ordem do Mérito Naval, Ordem do Mérito Aeronáutico, Ordem do Mérito das Forças Armadas, Ordem do Mérito Judiciário Militar, Ordem de Rio Branco, Medalha Militar de Platina com Passador de Platina, Medalha do Pacificador, Medalha Mérito Tamandaré, Medalha Mérito Santos Dumont, Medalha de Serviço Amazônico e Medalha da Academia de História Militar Terrestre do Brasil, entre outras.

Recebeu também as seguintes condecorações estrangeiras: Medalha Estrela das Forças Armadas do Equador, Medalha Meritória de Unidade Conjunta e Medalha do Serviço Meritório, ambas dos Estados Unidos da América, Cruz Peruana do Mérito Militar, Medalha Grã Cruz de la Vitória (Exército do Chile) e a Ordem a los Servicios Distinguidos - Grã Cruz (Exército da Argentina).

Foi eleito membro dos Conselhos de Administração da Petrobras e da Petrobras Distribuidora na Assembléia Geral Ordinária do dia 08 de abril de 2009.

Foi Bacharel em Ciências Econômicas, Mestre e Doutor em Ciências Militares.

Foi casado com Maria Antonina Teixeira Pinto de Albuquerque, com quem teve uma filha, Sílvia Regina de Albuquerque.

 

Isadora Tavares Maleval

 

 

 

Fontes: <http://www.militar.com.br/modules.php?op=modload&name=My_eGallery&file=index&do=showpic&pid=85&orderby=titleA>, link acessado em 09/09/09 às 10h56.

<http://www.pqsp.planejamento.gov.br/mostranoticias.aspx?Id=60>, link acessado em 09/09/09 às 12h00.

<http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u48685.shtml>, link acessado em 09/09/09 às 12h07.

<http://www.mre.gov.br/portugues/noticiario/nacional/selecao_detalhe3.asp?ID_RESENHA=85116>, link acessado em 09/09/09 às 12h28.

<http://www2.petrobras.com.br/portal/frame_ri.asp?pagina=/ri/port/ConhecaPetrobras/DadosCadastrais/DadosCadastrais.asp&lang=pt&area=ri>, link acessado em 09/09/09 às 12h51.

<http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=300ASP002>, link acessado em 09/09/09 às 13h27.

http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI405906-EI306,00.html, link acessado em 09/09/09 às 14h05.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados