GALDINO DO VALE FILHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VALE, Galdino do
Nome Completo: GALDINO DO VALE FILHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
VALE, GALDINO DO

VALE, Galdino do

*dep. fed. RJ 1922-1930 e 1951-1955.

 

Galdino do Vale Filho nasceu em São Francisco de Paula, atual município de Trajano de Morais (RJ), no dia 24 de setembro de 1879, filho de Galdino Antônio do Vale e de Francisca de Novais Martins do Vale.

Estudou em Nova Friburgo (RJ), cursando o primário no Colégio Guilherme Leocádio Pinto e o secundário no Colégio Anchieta. Ingressou em seguida na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, no então Distrito Federal, pela qual se formou em 1903 após defender tese sobre pâncreas e diabetes. Especializou-se em clínica médica, endocrinologia e vitaminoterapia.

Clinicou inicialmente em Miraí (MG). Retornando ao Rio de Janeiro, fixou residência em Nova Friburgo. Ingressou na política em 1906, dirigindo o jornal A Paz, periódico surgido em conseqüência da fusão das correntes políticas locais, então chefiadas pelos capitães Alberto Braune, Carlos Maria Marchon e o seu pai — Galdino Antônio do Vale.

No pleito de 19 de dezembro de 1909 foi eleito vereador de Nova Friburgo e, no ano seguinte, ainda vereador, elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Em 1912 foi reeleito vereador e no ano seguinte chegou à presidência da Câmara Municipal de Nova Friburgo. Era partidário do ex-presidente da República e líder político fluminense Nilo Peçanha, com quem rompeu em 1914 quando divergiu da decisão da comissão executiva do Partido Republicano Fluminense (PRF) em indicar o nome dele para concorrer à presidência do estado. Naquela oportunidade, Galdino defendia a candidatura de Feliciano Sodré. No ano seguinte foi candidato à Câmara dos Deputados, sendo impedido de tomar posse pela Comissão de Reconhecimento de Poderes da Câmara Federal. Em 19 de dezembro de 1916 foi reeleito vereador de Nova Friburgo, assumindo mais uma vez a presidência da câmara municipal.

Eleito deputado federal em 7 de maio de 1922, concorreu em setembro do mesmo ano às primeiras eleições da recém-criada prefeitura de Nova Friburgo, sendo eleito prefeito ao derrotar o candidato nilista Everardo Barreto. Em 1º de abril de 1923, por determinação do Supremo Tribunal ocorreram novas eleições em Nova Friburgo e Galdino do Vale reelegeu-se vereador, tornando-se novamente presidente da Câmara de Vereadores, além de conseguir eleger para prefeito seu correligionário Plácido Lopes Martins. Em julho de 1924, durante o governo do presidente Artur Bernardes, eclodiu o movimento tenentista em São Paulo. Galdino do Vale combateu o movimento, participando enquanto capitão-médico do contingente da Força Pública do Estado do Rio de Janeiro que seguiu para São Paulo a fim de combater os revoltosos. Ainda neste mesmo ano foi reeleito deputado federal. Em 1925 reassumiu a prefeitura de Nova Friburgo, mediante o afastamento do prefeito Plácido Martins.

Em 1930, apoiou a candidatura vitoriosa de Júlio Prestes à presidência da República, opondo-se, por conseguinte, ao movimento desencadeado pela Aliança Liberal em outubro daquele ano. Organizou em Nova Friburgo a Legião Galdino do Vale, composta por voluntários dispostos a defender o governo de Washington Luís contra a ameaça revolucionária. A ação dos aliancistas foi bem-sucedida e ainda em outubro o presidente Washington Luís foi deposto pelos chefes militares e, no início do mês seguinte, Getúlio Vargas, líder do movimento vitorioso, foi empossado na chefia do Governo Provisório. Com o fechamento dos órgãos legislativos, Galdino teve seu mandato de deputado federal interrompido, seguindo voluntariamente para o exílio em Lisboa, onde viveu durante um ano.

Regressando do exílio em abril de 1931, fixou residência em Niterói, dedicando-se temporariamente apenas à medicina. Em 1934 foi um dos fundadores do Partido Evolucionista do Estado do Rio de Janeiro conseguindo eleger seu correligionário Acúrcio Torres à Câmara dos Deputados.

Durante os anos do Estado Novo (1937-1945) dedicou-se ao seu consultório médico de Niterói e à atividade jornalística em A Paz. Adversário do presidente de Getúlio Vargas, foi preso diversas vezes durante a vigência da ditadura estado-novista. Em 1945, com o afastamento de Vargas e a redemocratização do país, tornou-se um dos fundadores da União Democrática Nacional (UDN), partido criado como frente ampla de oposição a Getúlio Vargas, e membro dos conselhos diretores desta agremiação no estado do Rio de Janeiro. Indicado pela UDN, foi candidato ao Senado pelo estado do Rio nesse mesmo ano, porém não conseguiu se eleger. Durante o governo do coronel Edmundo de Macedo Soares (1947-1951) exerceu a presidência do Conselho Fiscal do Estado do Rio de Janeiro.

Retornou à Câmara dos Deputados em março de 1951, depois de ter sido eleito deputado federal na legenda da UDN em outubro de 1950. Logo após a posse, foi escolhido para ocupar a vice-presidência da Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados, vindo posteriormente a presidi-la. Em 1954, em plena campanha para a reeleição, acabou desistindo da candidatura, em virtude do seu precário estado de saúde. Concluiu o mandato em janeiro de 1955, não retornando mais à Câmara.

Foi também professor de clínica médica da Faculdade Fluminense de Medicina. Jornalista, fundou A Paz, de Nova Friburgo, e o Diário Fluminense, de Niterói, então capital do estado. Pertenceu à Sociedade de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, à Academia Fluminense de Letras e à Liga de Defesa Nacional.

Faleceu em Niterói no dia 11 de maio de 1961.

Foi casado em primeiras núpcias com sua prima Evangelina Veiga do Vale, com quem teve quatro filhos. Casou-se depois com Marta de Segadas Viana.

Publicou Aclimação de animais importados, A ionterapia nas uretrites crônicas, A descendência alcoólica, Modalidade anômala do tifo-forma bubônica, Lendas e legendas de Nova Friburgo, Livro centenário do Poder Legislativo no Brasil, além de artigos em revistas médicas e literárias.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1946-1967); CÂM. DEP. Relação dos dep.; CISNEIROS, A. Parlamentares; Grande encic. Delta; HIRSCHOWICZ, E. Contemporâneos; Ilustração brasileira (10/22); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (2 e 3); VALE, A. Dr. Galdino.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados