GALO, EMILIO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GALO, Emílio
Nome Completo: GALO, EMILIO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GALO, EMÍLIO

GALO, Emílio

*dep. fed. MG 1983-1987.

Emílio Eddstone Duarte Galo nasceu em Jaguaraçu (MG) no dia 22 de novembro de 1935, filho do farmacêutico Alberto batista Galo e de Laurinda Duarte Galo.

Transferindo-se para Belo Horizonte, cursou o secundário no Instituto Padre Machado e no Colégio Marconi. Em 1960, bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Como advogado, trabalhou em comarcas do vale do Aço e advogou para a Belgo Mineira, a Acesita e a Universidade do Trabalho do vale do Aço, além de ter sido assessor jurídico de várias prefeituras nesta região.

No pleito de novembro de 1974 elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa de Minas Gerais na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Empossado em fevereiro de 1975, foi membro (1975-1976) e vice-presidente (1975) da Comissão de Saúde e Ação Social; titular das comissões de Fiscalização Financeira e Tomada de Contas (1976-1978) e de Agropecuária e Política Rural (1978); e líder dos governos Aureliano Chaves (1975-1978) e Ozanam Coelho (1978-1979), e também de seu partido.

Reeleito em novembro de 1978, no novo mandato iniciado em fevereiro seguinte foi vice-líder do governo Francelino Pereira (1979-1983). Com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a conseqüente reorganização partidária, ingressou no Partido Democrático Social (PDS), agremiação que sucedeu a extinta Arena e da qual tinha sido secretário da comissão provisória. Ainda na Assembléia Legislativa, foi líder da bancada (1980-1982).

No pleito de novembro de 1982, concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados na legenda do PDS. Eleito, foi empossado em fevereiro de 1983, ano em que também foi secretário-geral da executiva do PDS. Durante o mandato foi membro da Comissão de Minas e Energia e suplente da Comissão de Trabalho e Legislação Social (1983). Na sessão da Câmara de 25 de abril de 1984, pronunciou-se favoravelmente à emenda Dante de Oliveira, que preconizava o restabelecimento das eleições diretas para a presidência da República em novembro daquele ano. Constatada a insuficiência de votos para que a emenda Dante de Oliveira fosse enviada à apreciação do Senado — faltaram 22 —, convocou-se, em 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral. Emílio Galo votou em Tancredo Neves, candidato vitorioso da Aliança Democrática, coligação do PMDB com a dissidência do PDS agrupada na Frente Liberal, para presidente da República. Acometido por uma grave enfermidade, que o vitimou em 21 de abril de 1985, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência da República. Substituiu-o no cargo o vice José Sarney, que já vinha exercendo interinamente o cargo desde 15 de março.

Deixou a Câmara dos Deputados em janeiro de 1987, não tendo disputado a reeleição em novembro do ano anterior. Afastado da vida pública, retomou a carreira de advogado em Belo Horizonte. Em novembro de 1989, tornou-se membro do conselho de administração da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), cargo que lhe garantia um assento no conselho da Vale do Rio Doce Navegação S. A. (Docenave), subsidiária da CVRD. Permaneceu nessas funções até a privatização da empresa estatal, em maio de 1997.  Depois, concentrou suas atividades no exercício da advocacia integrando a Oscar Dias Correia – Advogados Associados.

Casou-se com Marta Albeny Duarte Galo, com quem teve três filhos.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Globo (26/4/84 e 16/1/85); TCE-MG (4/9/04).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados