GALVAO, ESTEVAM

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GALVÃO, Estevam
Nome Completo: GALVAO, ESTEVAM

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GALVÃO, ESTEVAM

GALVÃO, Estevam

*dep. fed. SP 1983-1987.

Estevam Galvão de Oliveira nasceu em Garça (SP) no dia 15 de agosto de 1942, filho de José Galvão de Oliveira e de Ângela Martins de Oliveira.

Bacharelou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito Brás Cubas de Mogi das Cruzes (SP).

Em 1961, passou a trabalhar como escriturário na Prefeitura de Suzano (SP). Em 1968, tornou-se fiscal lançador e, no ano seguinte, chefe da seção do expediente. Em 1972, foi eleito vereador de Suzano na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Em 1973, participou dos trabalhos legislativos como secretário da mesa da Câmara Municipal, presidente da Comissão de Finanças e Orçamento e de várias comissões especiais.

Em 1976, elegeu-se prefeito de Suzano. Com o fim do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), agremiação sucessora da Arena.

Em 1982, desincompatibilizou-se do cargo para se candidatar a uma cadeira na Câmara dos Deputados por São Paulo. Eleito, participou em 1983 dos trabalhos legislativos como titular da Comissão de Economia, Indústria e Comércio e suplente da Comissão de Agricultura e Política Rural.

Em 25 de abril de 1984, ausentou-se na votação da emenda Dante de Oliveira, que, apresentada na Câmara dos Deputados, propôs o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República em novembro daquele ano. Como a emenda não obteve o número de votos indispensáveis à sua aprovação — faltaram 22 para que o projeto pudesse ser encaminhado à apreciação pelo Senado Federal — no Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, Estevam Galvão votou no candidato do regime militar, Paulo Maluf, do PDS, que acabou sendo derrotado pelo candidato oposicionista Tancredo Neves, eleito novo presidente da República pela Aliança Democrática, uma união do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do PDS abrigada na Frente Liberal. Contudo, por motivo de doença, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto no cargo foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo interinamente o cargo desde 15 de março desse ano.

Estevam Galvão deixou a Câmara em janeiro de 1987, ao final da legislatura.

Em 1988, elegeu-se novamente prefeito de Suzano, pelo Partido da Frente Liberal (PFL). Deixou a prefeitura em 1° de janeiro de 1993. Em 1994, foi eleito deputado estadual pelo Partido Liberal (PL). Voltou ao PFL e tornou-se líder da bancada do partido. No pleito de 1996, pela terceira vez, elegeu-se prefeito de Suzano. Reeleito em 2000, deixou a prefeitura em 1° de janeiro de 2005. Ainda nesse ano foi nomeado subprefeito da região de Guaianases, na capital paulista. Deixou o cargo em abril de 2006 e em outubro reelegeu-se deputado estadual, assumindo o mandato em fevereiro de 2007 e tornando-se líder dos Democratas (DEM), criado com a refundação do PFL. Nas eleições de 2008 disputou novamente a prefeitura de Suzano, mas foi derrotado. Voltou ao exercício do mandato na Assembléia Legislativa de São Paulo.  

Realizou os cursos de aperfeiçoamento em tributos municipais, intensivo de administração municipal em Serra Negra, Guarujá e Itanhaém, de legislação tributária no Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM), de problemas brasileiros e de aspectos médico-legais da criminologia. Foi também diretor da Receita da Prefeitura Municipal de Suzano, presidente do Conselho do Instituto de Previdência do Estado de São Paulo (IPESP) e proprietário de uma loja de produtos agrícolas e de uma empresa de concreto.

Casado com Viviane Domschke Galvão de Oliveira, teve duas filhas.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Folha de S. Paulo (14/5/95); Globo (26/4/84 e 16/1/85); Jornal Cidade Agora (5/5/09); TSE (Eleições 1996, 2000, 2006, 2008).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados