GOMES, JOAO LUIS DE GUIMARAES

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GOMES, João Luís de Guimarães
Nome Completo: GOMES, JOAO LUIS DE GUIMARAES

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GOMES, JOÃO LUÍS DE GUIMARÃES

GOMES, João Luís de Guimarães

*diplomata; emb. Bras. Paraguai 1956-1958.

 

João Luís de Guimarães Gomes nasceu em Botucatu (SP) no dia 10 de setembro de 1894, filho de Jacinto Gomes.

Ingressou na carreira diplomática tornando-se auxiliar de consulado em junho de 1926. Nessa condição, serviu em Hamburgo, na Alemanha, de agosto do mesmo ano a outubro de 1927, quando foi transferido para Berlim. Deixou esse posto em outubro de 1931, um mês após ser promovido a cônsul de terceira classe.

De volta ao Brasil em novembro do mesmo ano, ficou lotado na Secretaria do Ministério das Relações Exteriores, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal. Colocado à disposição do Governo Provisório instituído pela Revolução de 1930, a partir de agosto de 1933 serviu sob a direção de Gregório da Fonseca como auxiliar da Secretaria da Presidência da República, órgão que precedeu o atual Gabinete Civil. Promovido a segundo-secretário em novembro seguinte, em março de 1934 deixou a secretaria e, em agosto, retornou a Berlim, lá permanecendo até novembro de 1935.

Novamente no Brasil, voltou a trabalhar na Secretaria do Itamarati, dessa vez como introdutor diplomático, função que exerceria até março de 1939. Em dezembro de 1938 foi promovido a primeiro-secretário e, em abril do ano seguinte, outra vez removido para Berlim. Deixou a capital alemã em fevereiro de 1940, sendo transferido para Berna, na Suíça, onde permaneceu até outubro de 1941, ano em que foi removido para Nova Orleans, nos EUA, como cônsul de primeira classe. Exerceu sua função nessa cidade norte-americana até agosto de 1945, quando regressou ao Brasil.

Em setembro seguinte assumiu no Rio de Janeiro a chefia da Divisão de Passaportes do Itamarati, tornando-se em outubro membro do Conselho de Imigração e Colonização. Em maio de 1946 alcançou o posto de conselheiro e, em setembro de 1948, passou a chefiar a Divisão de Orçamento do Ministério das Relações Exteriores. Promovido a ministro de segunda classe em fevereiro do ano seguinte, foi removido em outubro para Valparaíso, no Chile, como cônsul-geral. Permaneceu nessa cidade até setembro de 1950, quando foi transferido para Tegucigalpa, em Honduras, para exercer a função de ministro plenipotenciário até janeiro de 1951. Removido em março do mesmo ano para Montevidéu, lá permaneceu até abril de 1954, quando foi promovido a ministro de primeira classe. De volta ao Brasil em setembro desse ano, atuou em novembro como secretário-geral substituto da Reunião dos Ministros da Fazenda ou Economia dos Países-Membros da Organização dos Estados Americanos (OEA), realizada em Petrópolis (RJ). Em março de 1955 foi nomeado embaixador em Karachi, no Paquistão, mas não chegou a assumir o posto.

Designado em janeiro de 1956 para suceder ao embaixador Moacir Briggs à frente da representação diplomática brasileira em Assunção, no Paraguai, ali permaneceu até janeiro de 1958, quando foi substituído pelo general Euclides Zenóbio da Costa. Em abril seguinte foi removido para a Guatemala, lá permanecendo até setembro de 1959, quando se aposentou.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 11 de agosto de 1981.

 

 

FONTES: Estado (16/3/55); MIN. REL. EXT. Almanaque (1950); MIN. REL. EXT. Anuário (1961); PEIXOTO, A. Getúlio.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados