GONCALVES, CASSIO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GONÇALVES, Cássio
Nome Completo: GONCALVES, CASSIO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GONÇALVES, CÁSSIO

GONÇALVES, Cássio

*dep. fed. MG 1983-1987.

Cássio Gonçalves nasceu em Itaúna (MG) no dia 20 de agosto de 1937, filho do engenheiro Augusto Gonçalves de Sousa e de Petrina Guimarães Gonçalves. Seu avô, Augusto Gonçalves de Sousa Moreira, foi deputado estadual em Minas Gerais de 1891 a 1898.

Realizou o curso secundário no Colégio Loiola de Belo Horizonte e, em 1960, formou-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade Mineira de Direito da Universidade Católica de Minas Gerais (UCMG).

Em novembro de 1978 elegeu-se deputado estadual na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964, e foi empossado em fevereiro de 1979. Em novembro desse ano, com a extinção do bipartidarismo e a conseqüente reorganização partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), agremiação que deu continuidade ao extinto MDB. Como deputado estadual, foi membro das comissões de Constituição e Justiça e de Saúde e Ação Social.

No pleito de novembro de 1982 concorreu a uma vaga na Câmara dos Deputados pela legenda do PMDB mineiro. Eleito, deixou a Assembléia Legislativa em janeiro seguinte e, em fevereiro, assumiu seu mandato federal. Nessa legislatura, foi membro da Comissão de Trabalho e Legislação Social (1983) e relator geral da Comissão Interpartidária Mista das Prerrogativas do Legislativo. Como relator, propôs a criação de comissões legislativas no Senado e na Câmara para apreciar projetos de lei.

Na sessão da Câmara dos Deputados realizada em 25 de abril de 1984, votou a favor da emenda Dante de Oliveira, que restabelecia a eleição direta para presidente da República em novembro desse ano. Constatada a insuficiência de votos para que a emenda fosse aprovada e, posteriormente, submetida à apreciação do Senado, ficou definido que o próximo presidente seria eleito através de pleito indireto. Na reunião do Colégio Eleitoral em 15 de janeiro de 1985, Cássio Gonçalves votou em Tancredo Neves, candidato vitorioso da Aliança Democrática, coligação dos partidos de oposição, com exceção do Partido dos Trabalhadores (PT), liderados pelo PMDB, com a dissidência do Partido Democrático Social (PDS), agrupada na Frente Liberal, que derrotou Paulo Maluf, lançado pela legenda pedessista. Acometido por grave enfermidade, que o vitimou em 21 de abril de 1985, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência da República. Foi substituído no cargo pelo vice-presidente José Sarney, que já vinha exercendo a chefia interina do Executivo desde 15 de março.

Sem se candidatar a uma cadeira de deputado federal constituinte no pleito de novembro de 1986, Cássio Gonçalves encerrou sua passagem pela Câmara em janeiro de 1987, ao findarem o seu mandato e a legislatura.

Em 1988 deixou o PMDB e se juntou aos fundadores do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) em Minas, tornando-se membro suplente de sua executiva nacional. No ano seguinte, ocupou a função de procurador-geral de Belo Horizonte e, de janeiro a abril de 1990, foi secretário de Administração da capital mineira na gestão de João Pimenta da Veiga Filho (1989-1990).

Após prestar concurso público, assumiu, em julho de 1991, o cargo de juiz do Trabalho da 3ª Região de Belo Horizonte. Em 30 de maio de 1994, foi promovido a juiz presidente de junta. Em 2000 se aposentou e passou a atuar na coordenação do departamento de aposentados da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). Foi ainda professor da Faculdade de Direito da UCMG.

Casado com Maria Beatriz Ribeiro de Oliveira Gonçalves, teve dois filhos e mais dois filhos adotivos. Sua esposa era prima de José Aparecido de Oliveira, que foi deputado federal por Minas Gerais, ministro da Cultura (1985 e 1988-1990), governador do Distrito Federal (1985-1988) e embaixador do Brasil em Portugal.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Globo (26/4/84, 16/1 e 22/10/85); INF. BIOG; Suplemento Prata da Casa Nº 13 – Publicação da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 3ª Região (set./out./nov./2004).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados