GUARDA PESSOAL

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GUARDA PESSOAL
Nome Completo: GUARDA PESSOAL

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GUARDA PESSOAL

GUARDA PESSOAL

 

Corpo de guarda-costas criado em 1938, após o levante integralista de maio daquele ano, com o objetivo de dar proteção ao presidente Getúlio Vargas. Organizada por Benjamim Vargas, irmão de Getúlio, era composta de 20 homens, liderados pelo capitão Manuel dos Anjos, e posteriormente pelo coronel Vanique. Foi extinta no final do Estado Novo.

Com a volta de Getúlio Vargas à presidência da República em janeiro de 1951, a guarda pessoal foi reestruturada por um seu ex-integrante, Gregório Fortunato, homem de confiança do presidente. A guarda recrutava então seus membros na polícia civil e dispunha de verba especial do Departamento Federal de Segurança Pública.

Em 9 de agosto de 1954, por determinação do próprio Getúlio, a guarda pessoal, então com 83 integrantes, foi dissolvida devido a seu envolvimento no atentado da Toneleros. Nesse episódio, no qual foi morto o major-aviador Rubens Vaz e saiu ferido o jornalista Carlos Lacerda, um dos principais opositores do presidente, três membros da guarda foram diretamente incriminados: Gregório Fortunato, acusado de ser o mandante do crime; Climério Euribes de Almeida, acusado de ter contratado o assassino do major Vaz e de ter orientado diretamente o crime; e João Valente de Sousa, secretário da guarda, acusado de ter facilitado a fuga de Climério.

Sérgio Lamarão

 

 

FONTES: BALDESSARINI, H. Getúlio; Manchete (21/8/54).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados