GUIDI, NEREU

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GUIDI, Nereu
Nome Completo: GUIDI, NEREU

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GUIDI, NEREU

GUIDI, Nereu

*dep. fed. SC 1975-1977, 1978-1979 e 1982-1983.

 

Nereu Guidi nasceu em Criciúma (SC) no dia 10 de abril de 1943, filho de Pedro Guidi e Olívia Colonetti Guidi.

Fez os primeiros estudos em sua cidade natal, transferindo-se posteriormente para Porto Alegre, onde se bacharelou em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul em 1967.

Iniciou sua atividade política em 1968, filiando-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar vigente no país desde abril de 1964, e tornando-se membro do diretório municipal de Criciúma. Nesse mesmo ano, elegeu-se vereador à Câmara municipal de Criciúma. Reeleito em 1972 para um novo mandato, de 1973 a 1974 foi presidente da Câmara de Vereadores e presidente da Associação Catarinense de Câmaras Municipais.

Nas eleições de novembro de 1974, elegeu-se primeiro suplente de deputado federal pela Arena, assumindo uma cadeira na Câmara em março de 1975. No exercício do mandato, foi membro titular da Comissão de Trabalho e Legislação Social e suplente da Comissão de Constituição e Justiça. Em setembro de 1977 foi nomeado secretário do Interior e Justiça, no governo de Antônio Carlos Konder Reis (1975-1979). Permaneceu no cargo até maio de 1978, quando se desimcompatibilizou para poder disputar as eleições de novembro daquele ano. Reeleito, iniciou novo mandato em fevereiro de 1979, licenciando-se no mês seguinte para ocupar a chefia da Casa Civil do governo de Jorge Bornhausen (1979-1982). Sua vaga na Câmara foi ocupada pelo suplente Pedro Colin. Com o fim do bipartidarismo em novembro de 1979 e a consequente reorganização do quadro partidário, ingressou no Partido Democrático Social (PDS), partido de apoio ao governo que reuniu a maioria dos antigos arenistas. Em abril de 1982, deixou a Casa Civil e retornou à Câmara dos Deputados, onde exerceu o mandato até o final da legislatura, em 31 de janeiro de 1983.

Em março de 1983, assumiu a diretoria administrativa das Centrais Elétricas do Sul do Brasil (Eletrosul), empresa pública federal, permanecendo no cargo até março de 1987. Embora não tenha voltado a disputar cargos eletivos, continuou participando ativamente da vida política, tendo sido um dos fundadores do Partido da Frente Liberal (PFL) em Santa Catarina, no início de 1985. De janeiro de 1989 a julho de 1992 foi procurador do município de Criciúma, e de julho de 1996 a julho de 1998 foi presidente da Associação Catarinense de Supermercados (Acats), tornado-se depois disso delegado da Acats junto à Associação Brasileira de Supermercados. Foi ainda proprietário da Rádio Difusora e diretor do Grupo Angeloni.

Casou-se com Clarice Cascais Guidi, com quem teve três filhos. Seu primo Altair Guidi foi prefeito de Criciúma entre 1977 e 1983 e deputado estadual de 1987 a 1991, e a mulher deste, Sandra Guidi, foi suplente do senador Esperidião Amin, ocupando sua vaga no Senado em 1996 e 1999.

 

FONTES: A NOTÍCIA. Disponível em: <http://www1.an.com.br/1998/jun/24/0eco.htm>. Acesso em : 02 set. 2009; ASSEMB. LEGISL. SC. Dicionário político; CÂM. DEP. Deputados; INF. BIOG.; NÉRI, S. 16; Perfil (1980).

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados