HAICKEL, NAGIB

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: HAICKEL, Nagib
Nome Completo: HAICKEL, NAGIB

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
HAICKEL, NAGIB

HAICKEL, Nagib

*dep. fed. MA 1979-1987.

 

Nagib Haickel nasceu em Pindaré-Mirim (MA) no dia 19 de dezembro de 1933, filho de Elias Haickel e de Maria Haickel.

Comerciário, ingressou na política filiando-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instaurado no país após a vitória do movimento político-militar de 31 de março de 1964 que depôs o presidente João Goulart (1961-1964). Nessa legenda, disputou uma cadeira de deputado estadual no pleito de novembro de 1966, quando obteve a terceira suplência. Em novembro de 1970, na mesma legenda, obteve uma cadeira na Assembléia Legislativa maranhense como o quinto mais votado do partido e de todo o estado. Iniciou seu mandato em fevereiro do ano seguinte e reelegeu-se nas eleições de novembro de 1974, obtendo a segunda maior votação da legenda e de todo o estado.

No pleito de novembro de 1978, elegeu-se deputado federal na legenda da Arena. Após concluir seu mandato no Legislativo estadual em janeiro de 1979, assumiu sua cadeira na Câmara dos Deputados em fevereiro seguinte, onde passou a integrar, como titular, a Comissão do Interior e, como suplente, a Comissão de Economia, Indústria e Comércio. Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se, no ano seguinte, ao Partido Democrático Social (PDS), sucessor da Arena no apoio ao governo.

Reelegeu-se deputado federal em sua nova legenda em novembro de 1982, tomando posse em fevereiro de 1983. No início desse ano, o deputado mato-grossense Dante de Oliveira, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), apresentou na Câmara um projeto de emenda constitucional restabelecendo eleições diretas para a presidência da República já no ano seguinte. Encampado pelas oposições, esse projeto gerou uma campanha nacional, com ampla participação popular, que ficou conhecida como Diretas Já. Na sessão da Câmara do dia 25 de abril de 1984, seguindo a orientação partidária, o deputado Nagib Haickel ausentou-se da votação e contribuiu para que, por falta de apenas 22 votos, a emenda não fosse aprovada. Com o resultado, a emenda Dante de Oliveira não seguiu para apreciação do Senado.

Mantida a escolha do próximo presidente da República por via indireta, vários foram os postulantes à condição de candidato oficial do partido governista. A falta de consenso provocou uma cisão no PDS e os dissidentes formaram a Frente Liberal. Para resolver a questão, o partido realizou sua convenção em agosto, na qual o deputado paulista Paulo Maluf derrotou o então ministro do Interior Mário Andreazza. Assim sendo, Maluf, juntamente com o deputado cearense Flávio Marcílio, que ganhou na convenção a condição de candidato a vice-presidente, ao derrotar o então governador alagoano Divaldo Suruagi, tornaram-se os candidatos oficiais do governo.

Para concorrer com os candidatos da situação, os partidos de oposição, com exceção do Partido dos Trabalhadores (PT), liderados pelo PMDB, e a Frente Liberal, reunidos na Aliança Democrática, lançaram Tancredo Neves, então governador de Minas Gerais, e José Sarney, então senador pelo Maranhão, respectivamente para presidente e vice-presidente da República. Na reunião do Colégio Eleitoral em 15 de janeiro de 1985, o deputado Nagib Haickel votou em Paulo Maluf, que foi derrotado por Tancredo Neves. Com a derrota de Maluf, o enfraquecimento do PDS e o fortalecimento da Frente Liberal, que se transformara no Partido da Frente Liberal (PFL), Nagib se transferiu para esta legenda.

No pleito de novembro de 1986, cedeu sua vaga de candidato a deputado federal ao filho Joaquim Haickel e concorreu a uma cadeira na Assembléia Legislativa maranhense em seu novo partido, integrando a Aliança Democrática, mas só obteve uma suplência. Permaneceu na Câmara dos Deputados até o fim de janeiro de 1987, quando se encerraram o seu mandato e a legislatura. Transferindo-se mais tarde para o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), no pleito de outubro de 1990 voltou a concorrer a uma cadeira no Legislativo do estado, mas não conseguiu se eleger.

Faleceu em Coroatá (MA) no dia 7 de setembro de 1993.

Era casado com Clarice Pinto Haickel, com quem teve dois filhos, um dos quais, Joaquim Elias Nagib Pinto Haickel, foi constituinte 1987-1988 e deputado federal pelo Maranhão de 1987 a 1991.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertórios (1979-1983 e 1983-1987); Globo (26/4/84 e 16/1/85); INF. FAM. JOAQUIM HAICKEL; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (8, 9 e 11).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados