HERECTIANO ZENAIDE NOBREGA DE ALBUQUERQUE

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ZENAIDE, Herectiano
Nome Completo: HERECTIANO ZENAIDE NOBREGA DE ALBUQUERQUE

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ZENAIDE, HERECTIANO

ZENAIDE, Herectiano

*const. 1934; dep. fed. PB 1935-1937.

 

Herectiano Zenaide Nóbrega de Albuquerque nasceu em Alagoa Grande (PB) no dia 25 de setembro de 1887, filho de Apolônio Zenaide Peregrino de Albuquerque e de Josefa de Gouveia Nóbrega. Seu pai foi deputado provincial de 1886 a 1889 e deputado federal de 1897 a 1900 e de 1903 a 1908, quando se elegeu senador, mas faleceu antes de assumir, e sua mãe era de tradicional e influente família paraibana com destacada atuação política no estado.

Realizou os estudos secundários no Colégio Diocesano da Paraíba e iniciou curso de direito em 1904 na Faculdade de Direito de Recife, onde cursou os três primeiros anos. Transferindo-se para o Rio de Janeiro, então capital federal, ingressou no quarto ano da Escola Livre de Direito Dr. França Carvalho. Em seguida, foi para São Paulo, matriculando-se na Faculdade de Direito da capital, na qual cursou o quinto ano. Com a morte do pai em agosto de 1908, viu-se obrigado a assumir a direção dos negócios da família e a substituí-lo na chefia política de Alagoa Grande. Desse modo, retornou à Faculdade de Direito de Recife, bacharelando-se em fevereiro de 1909.

Grande proprietário agrícola e usineiro, elegeu-se deputado estadual na Paraíba para a sétima legislatura republicana (1912-1915) na legenda do Partido Republicano. Em fevereiro de 1915, casou-se com sua prima Maria Elvídia Nóbrega Zenaide. Nesse ano, reelegeu-se à Assembléia Legislativa. No ano seguinte, a pedido do então presidente do estado, Solon de Lucena, candidatou-se e foi eleito prefeito de Alagoa Grande. Permaneceu à frente do Executivo municipal até 1923, quando passou o cargo a Severino Peregrino de Albuquerque Montenegro, seu primo e cunhado.

Deixando a prefeitura de sua cidade natal, voltou a se eleger deputado estadual para a décima legislatura de 1924 a 1927. Nesse período, organizou uma sociedade com o seu irmão Apolônio Nóbrega Zenaide e o padrasto João Holmes Sobrinho, surgindo daí a Usina Tanques. Mais tarde, Herectiano comprou as cotas dos outros sócios e ficou como proprietário único dessa usina de açúcar. Reelegeu-se deputado estadual para a décima-primeira legislatura iniciada em 1928, sempre na legenda do Partido Republicano, e integrou a bancada que apoiava o então presidente do estado, João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque (1928-1930).

Em virtude da vitória da Revolução de 1930 e da extinção de todos os órgãos legislativos do país, Herectiano Zenaide perdeu, conseqüentemente, o seu mandato na Assembléia Legislativa paraibana. Com o processo de redemocratização e o surgimento de novas agremiações políticas, foi um dos fundadores do Partido Progressista da Paraíba e um dos membros mais destacados de sua comissão central, ao lado de José Pereira Lira, Irineu Joffily, Manuel Veloso Borges e Odon Bezerra Cavalcanti. No pleito de maio de 1933, elegeu-se deputado pelo estado da Paraíba à Assembléia Nacional Constituinte, na legenda do partido que ajudara a fundar. Assumiu o mandato em novembro de 1933, participando dos trabalhos constituintes. Com a promulgação da nova Carta (16/7/1934) e a eleição do presidente da República no dia seguinte, teve o mandato estendido até maio de 1935. Nas eleições de outubro de 1934, elegeu-se deputado federal pela Paraíba na mesma legenda, iniciando novo mandato em maio do ano seguinte. Permaneceu na Câmara dos Deputados até o dia 10 de novembro de 1937, quando o advento do Estado Novo suprimiu os órgãos legislativos do país.

Devido ao fechamento do Congresso Nacional, retornou à Paraíba e, estudioso que era das ciências naturais, preparou-se para fazer um estudo sobre as aves, os animais e as plantas de seu estado. Na usina Tanques, de sua propriedade, organizou um horto florestal com as espécies vegetais características da região, que chegou a servir para aulas de campo de professores e alunos da Escola de Agronomia do Nordeste da cidade de Areia (PB).

Com o fim do Estado Novo (1937-1945) e a conseqüente redemocratização do país, atendendo a apelos de José Américo de Almeida e de Virgínio Veloso Borges, foi um dos fundadores da União Democrática Nacional (UDN) na Paraíba, chegando a integrar o seu diretório estadual e assumindo a chefia do partido em Alagoa Grande. Mesmo assim, recusou convites para se candidatar ao Senado, bem como à Câmara dos Deputados, mas concorreu a uma cadeira na Assembléia Legislativa no pleito de 19 de janeiro de 1947, obtendo apenas uma suplência. Apoiou a candidatura vitoriosa de Osvaldo Trigueiro de Albuquerque Melo ao governo da Paraíba em 1947, fazendo o mesmo com a de José Américo de Almeida no pleito de outubro de 1950, igualmente vitoriosa. Desde então, afastou-se das atividades políticas e passou a se dedicar às atividades particulares de industrial e fazendeiro.

Em 1951, vendeu a usina Tanques a Agnaldo Veloso Borges, que destruiu o horto florestal nela existente para fazer lenha. Herectiano foi proprietário ainda de inúmeras fazendas nas cidades de Alagoa Grande, João Pessoa, Soledade, Juazeirinho e Monteiro, todas em seu estado. Em Juazeirinho, fundou a Pesquisa S.A. Indústria e Comércio de Minérios, com sede na mina Pedras Pretas, onde explorava minérios de tantalita, colombita, berilo e cassiterita.

Foi ainda membro da Sociedade Paraibana de História Natural.

Faleceu em João Pessoa no dia 13 de dezembro de 1971.

Teve 20 filhos, dentre os quais Hélio Nóbrega Zenaide, jornalista, que foi diretor e editor do jornal A União, órgão oficial do estado da Paraíba.

Publicou Aves da Paraíba (1954), Livrinho dos nossos animais (1955) e Meu herbáreo Cariri (post mortem, 1990). Com esta última obra, uma classificação de mais de duzentas espécies vegetais do Cariri paraibano, venceu o concurso “Augusto dos Anjos” para ensaios, promovido pela Secretaria de Educação e Cultura da Paraíba.

Alan Carneiro atualização

 

FONTES: Almanaque da Paraíba; ASSEMB. NAC. CONST. 1934. Anais; Boletim Min. Trab. (5/36); CÂM. DEP. Deputados; Câm. Dep. seus componentes; Diário do Congresso Nacional; GODINHO, V. Constituintes; INF. FAM. HÉLIO ZENAIDE; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados