HERMINIO CALVINHO FILHO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: CALVINHO, Hermínio
Nome Completo: HERMINIO CALVINHO FILHO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:

CALVINHO, Hermínio

*dep. fed. PA 1991-1995.

Hermínio Calvinho Filho nasceu em Belém no dia 6 de janeiro de 1939, filho de Hermínio Calvinho e de Honorina Guerreiro Calvinho.

Oficial da Marinha Mercante, foi escrevente de navios e chefe interino de contabilidade nas agências do Serviço de Navegação da Amazônia e da Administração do Porto do Pará. Fez também o curso de aperfeiçoamento em contabilidade pública, na Fundação Faria Lima, em São Paulo, e formou-se em direito no Centro de Estudos Superiores do Pará.

Iniciou a sua trajetória política em 1966 como um dos fundadores, em Belém, do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. No pleito de novembro foi eleito vereador nessa legenda. Empossado em fevereiro de 1967, assumiu a quarta secretaria da Câmara Municipal e integrou a Comissão de Obras e Urbanismo. Reeleito em novembro de 1972, tornou-se vice-presidente da Comissão de Economia e Finanças e líder da bancada do MDB. Em novembro de 1978 conquistou o terceiro mandato de vereador. Um ano depois, com a extinção do bipartidarismo e a consequente reformulação partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), sucessor do MDB. Foi membro titular das comissões de Economia e Finanças e de Justiça e Legislação, primeiro-secretário (1981-1983) e presidente da Câmara Municipal (1982). Fundador e diretor da União dos Vereadores do Pará, foi autor do anteprojeto de lei orgânica para os municípios do estado.

Nas eleições de novembro de 1982 foi eleito deputado estadual. Ao assumir o novo mandato, em fevereiro de 1983, presidiu as comissões de Fiscalização Financeira e Orçamento, e de Justiça e Legislação. Presidente da Assembleia Legislativa de 1985 a 1987, participou da União Parlamentar Interestadual. Em novembro de 1986 candidatou-se a vice-governador do Pará na chapa encabeçada por Hélio Gueiros, também do PMDB, que venceu a eleição. Empossado em março de 1987, exerceu interinamente o governo por mais de cem vezes até o final do mandato, no início de 1991.

No pleito de outubro de 1990 elegeu-se deputado federal pelo Pará na legenda do PMDB. Tomou posse em fevereiro de 1991 e foi escolhido vice-líder da bancada peemedebista na Câmara dos Deputados. Participou também da Comissão de Educação, Cultura e Desporto, e da comissão mista encarregada da revisão de doações, vendas e concessões de terras públicas. Na sessão de 29 de setembro de 1992, votou a favor da abertura do processo de impeachment do presidente Fernando Collor de Melo, acusado de crime de responsabilidade por ligações com um esquema de corrupção liderado pelo ex-tesoureiro de sua campanha presidencial Paulo César Farias. Afastado da presidência logo após a votação na Câmara, Collor renunciou ao mandato em 29 de dezembro de 1992, pouco antes da conclusão do processo pelo Senado Federal, sendo efetivado na presidência da República o vice Itamar Franco, que já vinha exercendo o cargo interinamente desde o dia 2 de outubro.

Ainda nessa legislatura, Calvinho votou a favor da criação do Fundo Social de Emergência, que permitia ao governo gastar até 20% da arrecadação vinculada às áreas de saúde e de educação, e contra o fim do voto obrigatório. Não tendo conseguido reeleger-se em outubro de 1994, retirou-se da Câmara no final do mandato, em janeiro de 1995.

Tentou retornar à política em outubro de 1998, candidatando-se a deputado estadual na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), mas não foi eleito. Algum tempo depois assumiu a chefia da Divisão de Eixos da Secretaria Municipal de Economia (Secon) de Belém, na gestão do prefeito Duciomar Costa (2005-).

Casado com Oneide Marques Calvinho, teve quatro filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1991-1995); Folha de S. Paulo (18/9/94); Perfil Parlamentar/IstoÉ (1991); Portal da Prefeitura de Belém. Disponível em: <http://www.belem.pa.gov.br/portal/new/index.php?option=com_content&view=article&id=6818:praca-da-republica-recebe-20-mil-visitantes-no-primeiro-domingo-de-julho&catid= 58:notiscias&Itemid=71>. Acesso em: 20 jul. 2009.

 

 

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados