HUGO MANHAES BETHLEM

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BETHLEM, Hugo Manhães
Nome Completo: HUGO MANHAES BETHLEM

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BETHLEM, HUGO MANHÃES

BETHLEM, Hugo Manhães

*militar; emb. Bras. Bolívia 1952-1954.

 

Hugo Manhães Bethlem nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 17 de abril de 1913, filho do general e professor Agrícola da Câmara Lobo Bethlem e de Maria Zilda Manhães Bethlem.

Fez seus estudos no Colégio Militar do Rio de Janeiro, ingressando na Escola Militar do Realengo, também no Rio, em março de 1930. Optando pela arma de cavalaria no final do curso em dezembro de 1932, foi imediatamente promovido a segundo-tenente. Em dezembro do ano seguinte passou a primeiro-tenente e, nessa patente, fez o curso especial de equitação. Promovido a capitão em março de 1940, foi aluno das escolas de Armas e de Estado-Maior, no Rio, e posteriormente da Command and General Staff School e da Ground Liaison Officer School, nos Estados Unidos. Mais tarde, foi instrutor e professor da Escola Militar do Realengo e professor da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército. Nesse período, ascendeu ao posto de major em setembro de 1947.

Adido militar junto à embaixada do Brasil na Bolívia e diretor da Divisão de Polícia Política e Social do Departamento Federal de Segurança Pública, passou a tenente-coronel em dezembro de 1951. Licenciado da carreira militar, assumiu em abril de 1952 a chefia da representação diplomática brasileira em La Paz, em substituição ao encarregado de negócios Manuel Emílio Pereira Guilhon. Permaneceu à frente da embaixada brasileira na capital boliviana até abril de 1954, quando passou o cargo ao encarregado de negócios Paulo Padilha Vidal. Em seguida, ainda em 1954, tornou-se embaixador do Brasil no Paquistão, desempenhando essas funções até o ano seguinte. Exonerado, a pedido, de suas atividades diplomáticas, retornou ao serviço ativo no Exército, vindo a servir em São Paulo. Foi reformado no posto de general-de-divisão.

Formado em direito na Universidade de Brasília, passou a se dedicar à iniciativa privada. Além de trabalhar em seu escritório de advocacia, foi presidente da Critérion Serviços Promocionais e vice-presidente das feiras comerciais organizadas pela Alcântara Machado, Comércio e Empreendimentos Ltda.

Muniz Bandeira, no livro O governo João Goulart: lutas sociais no Brasil, 1961-1964, afirma que no início de 1964 Hugo Bethlem manteve contatos com o adido militar norte-americano, Vernon Walters, acusado de participação ativa na preparação do movimento político-militar de 31 de março de 1964 que depôs o presidente João Goulart.

Faleceu em Brasília em 28 de maio de 1982.

Foi casado com Erni Meira Bethlem, com quem teve uma filha. Do seu segundo casamento com Iraci Jordão Bethlem, teve dois filhos. Casou-se pela terceira vez com Enil Seixas Bethlem, cuja filha perfilhou.

 

 

FONTES: BANDEIRA, L. Governo; INF. FAM.; MIN. GUERRA. Almanaque (1958); MIN. REL. EXT. Anuário (1953); SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados