IVAIR FREITAS GARCIA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: GARCIA, Ivair
Nome Completo: IVAIR FREITAS GARCIA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
GARCIA, IVAIR

GARCIA, Ivair

*dep. fed. SP 1975-1979.

 

Ivair Freitas Garcia nasceu em Mogi das Cruzes (SP) no dia 10 de julho de 1926, filho de Manuel Freitas Garcia e de Leonor Silveira Garcia.

Ingressou no curso de direito da Universidade de São Paulo (USP) e, em 1947, tornou-se diretor de patrimônio da Federação Universitária Paulista de Estudantes (FUPE). No ano seguinte, assumiu o cargo de tesoureiro do Centro Acadêmico XI de Agosto, que exerceria até 1949. Nesse período, fez o curso do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva (CPOR), estagiando para segundo-tenente R/2 no Exército, no 6º Regimento Ipiranga. Em 1948 realizou o curso de criminologia promovido pela Faculdade de Direito. Formou-se na USP em 1950.

Aprovado no concurso de ingresso à carreira de delegado, a partir de 1951 exerceu o cargo em 18 cidades do interior do estado de São Paulo ao longo de 17 anos. Em 1966 foi eleito vice-presidente da Associação dos Funcionários da Polícia Civil do Estado de São Paulo, permanecendo neste posto até o ano seguinte. Nesta entidade de classe, exerceria também os cargos de membro do Conselho Fiscal (1968-1969), presidente por dois mandatos (1970-1971 e 1972-1973) e primeiro orador (1974-1975).

Em 1968 transferiu-se para a capital paulista, sendo lotado no Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), como assessor do diretor. No ano seguinte, assumiu a direção do órgão, permanecendo até 1970. Em novembro desse ano elegeu-se deputado estadual por São Paulo, na legenda da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Assumiu o mandato na Assembléia Legislativa em fevereiro de 1971, participando dos trabalhos legislativos como relator do título IV do trabalho para a reforma da Constituição estadual, vice-presidente da Comissão Especial de Inquérito para estudar as causas e apresentar sugestões sobre a evasão de técnicos do serviço público estadual e membro efetivo das comissões de Redação e de Serviço Civil.

No pleito de novembro de 1974, candidatou-se a uma cadeira na Câmara dos Deputados, obtendo apenas uma suplência. Convocado, tomou posse em março do ano seguinte, participando dos trabalhos legislativos como membro efetivo das comissões de Serviço Público, de Fiscalização Orçamentária e de Contas e da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que estudou a situação carcerária do país. Na Câmara, foi um autêntico representante de sua classe profissional. Apresentou poucos projetos de lei, mas praticamente todos visavam a melhorar as condições de vida e trabalho dos policiais. Em vários pronunciamentos, assumiu a defesa do chamado Esquadrão da Morte e do controvertido delegado paulista Sérgio Paranhos Fleury, de quem se dizia amigo. Integrou ainda a Comissão Especial do Código de Processo Penal, apresentando emendas ao projeto original do governo e relatando um capítulo do novo código, aprovado pela Câmara em 1977. Na mesma época, em debates e articulações visando à sucessão presidencial, aderiu à candidatura do ministro do Exército, general Sílvio Frota. Em outubro do mesmo ano, porém, o general foi afastado do cargo e da corrida sucessória.

No pleito de novembro de 1978 Ivair Garcia tentou, sem sucesso, a reeleição e deixou a Câmara em janeiro do ano seguinte, ao fim da legislatura.

Foi sócio-fundador e membro do Conselho Curador da Academia Paulista de Direito e professor de estudos de problemas brasileiros e de direito constitucional da Universidade de Taubaté.

Faleceu em São Paulo no dia 13 de março de 1994.

Era casado com Sílvia Pinto de Freitas Garcia, com quem teve três filhos.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1979-1983); DIAS, B. N. Ivair; Estado de S. Paulo (5/5/78); Jornal do Brasil (14/10 e 2/11/77); NÉRI, S. 16; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (9 e 11).

 

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados