JERONIMO COIMBRA BUENO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BUENO, Coimbra
Nome Completo: JERONIMO COIMBRA BUENO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BUENO, COIMBRA

BUENO, Coimbra

*gov. GO 1947-1950; sen. GO 1955-1963.

 

Jerônimo Coimbra Bueno nasceu em Rio Verde (GO) no dia 19 de maio de 1910, filho de Orozimbo Sousa Bueno, fazendeiro e comerciante, e de Umbelina Coimbra Bueno, descendentes de tradicionais famílias brasileiras.

Fez os primeiros estudos na casa paterna e em pequenas escolas de Rio Verde até 1923, ano em que ingressou no curso secundário do Colégio São Bento, na capital de São Paulo. Transferindo-se para Barretos (SP), permaneceu nessa cidade até 1925, concluindo os estudos entre 1926 e 1928 nos colégios Santo Inácio e Resende, do Rio de Janeiro, então Distrito Federal. Em 1929 ingressou na Escola de Engenharia da Universidade do Rio de Janeiro, pela qual se diplomou em 1933, especializando-se em urbanismo.

Nomeado para a Superintendência Geral de Obras de Goiânia em 1934, organizou juntamente com seu irmão, Abelardo Coimbra Bueno, a firma Coimbra Bueno e Cia., responsável pelos trabalhos de construção da nova capital do estado de Goiás, inaugurada em 1935. Em agosto de 1938 tornou-se membro do Conselho Técnico de Economia e Finanças de seu estado e, no mês seguinte, obteve a concessão de uma rodovia interestadual graças à qual a economia do sul de Goiás se articulava à de São Paulo através do Triângulo Mineiro. Ainda nesse ano concluiu sua gestão à frente da Superintendência Geral de Obras.

Com o fim do Estado Novo em 1945 e a redemocratização do país, concorreu às eleições de janeiro de 1947 para o governo de seu estado na legenda da União Democrática Nacional (UDN). Saindo-se vitorioso, governou durante o período de 1947-1950, acumulando a função de membro da Comissão de Estudos e Localização da Nova Capital do Brasil. Durante sua gestão organizou e dirigiu o primeiro serviço privado para as zonas de garimpo e cristal e construiu ferrovias no estado. Em 1950 transferiu o governo ao vice-governador Hosaná Guimarães.

Em 1953 foi nomeado diretor-técnico da terceira Comissão de Estudos e Localização da Nova Capital do Brasil, elegendo-se em outubro de 1954 senador por Goiás na legenda da coligação formada entre a UDN e o Partido Social Progressista (PSP). Iniciou o mandato em fevereiro do ano seguinte e em 1956, no princípio do governo de Juscelino Kubitschek, teve transferida para a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), recém-criada, a tarefa de dar prosseguimento à construção de Brasília. Promoveu a primeira reorganização administrativa do estado de Goiás, a cargo do Instituto de Desenvolvimento e Organização das Relações de Trabalho (IDORT) de São Paulo, tendo sido ainda organizador e diretor da repartição pública que substituiu a Superintendência Geral de Obras de Goiânia. Em janeiro de 1963 terminou seu mandato de senador.

Com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), e nessa legenda concorreu a uma cadeira na Câmara dos Deputados pelo estado de Goiás no pleito de novembro de 1982, obtendo apenas uma suplência.

Representante da Associação dos Pecuaristas do Brasil Central no Rio de Janeiro, colaborou na formação da Companhia Duratex Indústria e Comércio, tendo sido ainda autor da organização preliminar da companhia Cobre Caraíba. Organizou e dirigiu a Empresa Exportadora de Cristal de Rocha, foi auxiliar técnico no Serviço Sanitário da Baixada Fluminense e autor dos planos e das obras de remodelação de Cuiabá, Curitiba, Luisiânia (SP) e, no estado do Rio, de Atafona, Araruama, Cabo Frio, Campos e Petrópolis. Estagiou nos EUA e em vários países da Europa.

Faleceu no dia 17 de setembro de 1996.

Era casado com Ambrosina Parassu Borges Coimbra Bueno, de quem teve cinco filhos.

Escreveu duas teses: Aspectos do urbanismo no Brasil e Plano de urbanização de Goiânia.

 

FONTES: COUTINHO, A. Brasil; FERREIRA, J. Presidentes; Grande encic. Delta; HIRSCHOWICZ, E. Contemporâneos; IPC. Relação de parlamentares (18/11/98); SENADO. Dados; SENADO. Relação; SOC. BRAS. EXPANSÃO COMERCIAL. Quem.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados