JOAO ASCANIO MOURA TUBINO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: TUBINO, Ascânio
Nome Completo: JOAO ASCANIO MOURA TUBINO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
TUBINO, ASCÂNIO

TUBINO, Ascânio

*const. 1934; dep. fed. RS 1935-1937.

 

João Ascânio Moura Tubino nasceu em Quaraí (RS) no dia 9 de setembro de 1895, filho de Dartagnan Batista Tubino e de Iria Leal de Moura Tubino.

Fez seus estudos secundários no Colégio Corsenil e no Ginásio Anchieta, em Porto Alegre, bacharelando-se em ciências jurídicas e sociais pela Faculdade de Direito da mesma cidade em 1916. Advogado no foro de Quaraí e pecuarista, foi sócio da firma Viúva Delgado, Linhares & Cia. ligada à atividade pastoril. Em 1918 foi delegado de polícia em Quaraí, em 1919 assumiu a diretoria do periódico O Cidadão e em 1920 passou a fazer parte do Conselho Municipal.

Em 1921, acompanhando a posição do Partido Republicano Rio-Grandense (PRR) e de seu líder Antônio Augusto Borges de Medeiros, apoiou a Reação Republicana, movimento político que promoveu a candidatura de Nilo Peçanha à presidência da República, em oposição à chapa encabeçada por Artur Bernardes, apoiada pelo governo federal, afinal vencedora em março de 1922. Nesse ano apoiou a candidatura de Borges de Medeiros à reeleição para o governo de seu estado. Eleito, Borges de Medeiros enfrentou diversas revoltas, que se estenderam de 1923 a 1926. Ascânio Tubino apoiou sempre o governo estadual, chegando a incorporar-se em 1924, por ocasião das revoltas tenentistas, à coluna do coronel Claudino Nunes Pereira, vanguarda das forças de José Antônio Flores da Cunha, tomando parte do combate de Guaçuboi, que derrotou a coluna revolucionária liderada por Honório Lemes.

Em 1924 deixou a direção de O Cidadão e assumiu o cargo de intendente de Quaraí, onde permaneceu até 1928. Eleito deputado estadual no Rio Grande do Sul, assumiu uma cadeira na Assembléia gaúcha em 1929. Exerceu o cargo até outubro de 1930, quando o movimento revolucionário desencadeado pela Aliança Liberal, ao qual deu seu apoio, depôs o presidente da República Washington Luís e suprimiu os órgãos legislativos do país. No ano seguinte voltou a assumir a chefia do Executivo municipal de Quaraí, já então na condição de prefeito. Durante a Revolução Constitucionalista de 1932 em São Paulo, manteve seu apoio ao Governo Provisório do presidente Getúlio Vargas, instalado em 1930. Deixou a prefeitura de Quaraí em 1933, ano em que foi eleito deputado à Assembléia Nacional Constituinte, pelo Rio Grande do Sul, na legenda do Partido Republicano Liberal (PRL), com apoio da Liga Eleitoral Católica (LEC). Assumiu seu mandato em novembro de 1933, participando da elaboração da Constituição, promulgada no dia 16 de julho de 1934, e tendo seu mandato prorrogado até maio do ano seguinte. No pleito ordinário de outubro de 1934 foi eleito deputado federal, pelo Rio Grande do Sul, na legenda do PRL, permanecendo na Câmara até 10 de novembro de 1937, quando o advento do Estado Novo suprimiu os órgãos legislativos do país.

Faleceu no Rio de Janeiro no dia 23 de setembro de 1967.

Era casado com Ester Delgado Tubino, com quem teve seis filhos.

 

 

FONTES: Álbum; ARQ. GETÚLIO VARGAS; Boletim Min. Trab. (5/36); CÂM. DEP. Deputados; Câm. Dep. seus componentes; CARONE, E. República velha; Diário do Congresso Nacional; GODINHO, V. Constituintes; INF. FAM.; MELO, L. Subsídios; Personalidades.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados