JOAO BATISTA CASTEJON BRANCO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: BRANCO, Castejón
Nome Completo: JOAO BATISTA CASTEJON BRANCO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
BRANCO, CASTEJÓN

BRANCO, Castejón

*dep. fed. MG 1979-1985.

 

João Batista Castejón Branco nasceu em Monte Santo de Minas (MG), no dia 23 de março de 1919, filho do serventuário da Justiça Diomar Branco e de Maria Castejón Branco.

Estudou no Instituto Cesário Mota em Campinas (SP) e concluiu o secundário no Colégio Pedro II do Rio de Janeiro. No antigo Distrito Federal, trabalhou como jornalista e integrou a equipe de redação dos jornais Diário de Notícias, Jornal do Brasil e Última Hora, e das sucursais de O Estado de S. Paulo e da Folha de S. Paulo.

Funcionário do Senado Federal, transferiu-se para Brasília com a inauguração da nova capital do país em abril de 1960. Superintendente da Fundação Cultural do novo Distrito Federal, desempenhou as funções de chefe de gabinete do primeiro governador de Brasília, Israel Pinheiro. No Senado foi secretário da Comissão de Relações Exteriores e das delegações que compareceram à Conferência Interparlamentar realizada em Viena, Áustria, e às assembléias gerais da Organização das Nações Unidas (ONU) em 1959, 1961 e 1965.

De volta a Minas Gerais, ocupou a diretoria administrativa da Autarquia de Construção, Ampliação e Reforma de Prédios Escolares de Minas Gerais, durante o governo de Aureliano Chaves (1975-1978).

Iniciou a carreira política em novembro de 1978, elegendo-se deputado federal pela Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de sustentação do regime militar instaurado no país em abril de 1964. Empossado em fevereiro seguinte, fez parte das comissões de Fiscalização de Contas e de Saúde.

Após a extinção do bipartidarismo, em novembro de 1979, filiou-se ao Partido Democrático Social (PDS), sucessor da Arena, pelo qual foi reeleito em novembro de 1982.

Castejón Branco não compareceu à sessão de 25 de abril de 1984 em que a Câmara rejeitou a emenda Dante de Oliveira, que previa eleições diretas para presidente da República. Derrotada a proposição — faltaram 22 votos para que fosse levada à apreciação do Senado — no Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, apoiou o candidato oposicionista Tancredo Neves, eleito pela Aliança Democrática, uma união do PMDB com a dissidência do Partido Democrático Social (PDS) abrigada na Frente Liberal. Doente, Tancredo Neves não chegou a ser empossado, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo o cargo interinamente desde 15 de março deste ano.

Transferindo-se para o Partido da Frente Liberal (PFL), Castejón Branco faleceu em Belo Horizonte no dia 11 de novembro de 1985.

 

FONTES: ASSEMB. LEGISL. MG. Dicionário biográfico; Globo (26/4/84, 16/1 e 12/11/85); IPC. Relação de parlamentares.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados