JOAO GUILHERME DE ARAGAO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: ARAGÃO, João Guilherme de
Nome Completo: JOAO GUILHERME DE ARAGAO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
ARAGÃO, JOÃO GUILHERME DE

ARAGÃO, João Guilherme de

*dir. DASP 1956-1961.

 

João Guilherme de Aragão nasceu em São José do Egito (PE) no dia 25 de junho de 1912, filho de Joaquim Batista de Aragão e de Jacinta Correia de Aragão.

Bacharelou-se em 1944 pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, e em 1947 assumiu a chefia da Seção de Pesquisas da Divisão de Pessoal do Departamento Administrativo do Serviço Público (DASP). Em 1950 participou do X Congresso Internacional de Ciências Administrativas, realizado em Madri e, no ano seguinte, deixou o cargo de chefia que exercia no DASP. Em 1954 concluiu o doutorado na Sorbonne, em Paris, tendo defendido a tese A justiça administrativa no Brasil.

Voltando ao DASP em seu retorno ao Brasil, foi professor de princípios gerais de direito e administração e de legislação pessoal, chefe do Serviço de Organização e Métodos da Divisão de Orçamento e Organização e diretor da Divisão de Pessoal. Em 1956, ao se iniciar o governo de Juscelino Kubitschek, foi nomeado diretor-geral do DASP, assumindo o cargo ocupado anteriormente por Jair Tovar. Exerceu suas funções até o final do governo Kubitschek em 1961, quando foi substituído por Afonso Fonseca Pimentel. Em 1973 foi designado ministro para assuntos comerciais junto à embaixada brasileira em Lisboa e, mais tarde, foi secretário-geral do Ministério da Educação e Cultura durante a gestão de Eduardo Portela (1979-1980).

Em 1985, com a criação do Ministério da Ciência e Tecnologia, foi nomeado pelo então ministro da pasta, Renato Archer, com a tarefa de organizar o ministério no que dizia respeito à sua estrutura administrativa. Permaneceu nessa função até sua morte, ocorrida em Brasília no dia 28 de fevereiro de 1986, vitimado por um enfarte em pleno serviço.

Foi também professor em sua cidade natal, estatístico auxiliar do Ministério da Fazenda e representante e coordenador brasileiro junto ao Instituto Internacional de Ciências Administrativas em Bruxelas, na Bélgica. Exerceu as funções de ministro para assuntos econômicos em Bonn, na Alemanha, e de ministro para assuntos comerciais em Viena, na Áustria. Dedicou-se também ao jornalismo, tendo trabalhado nos jornais Correio da Manhã, A Manhã, O Jornal, Correio da Noite e Diário Carioca. Foi membro da Société de Legislation Comparée de Paris, do Institut International de Finances Publiques, em Bruxelas, e do Latin-America Institut.

Era casado com Madeleine Suzanne Marie de Aragão, com quem teve sete filhos.

Publicou Administração e cultura; Le problème de la fonction juridictionelle au Brésil; Le DASP et la fonction publique au Brésil; Um estadista da Primeira República; O ano legislativo de 1948; Plano Salte e planejamento; Parlamentarismo e ditadura; Formação de Rio Branco; André Rebouças; Cairu, economista comercialista e político; Fronteiras da criação e Passos do escolhido.

 

FONTES: COUTINHO, A. Brasil; Globo (5/3 e 1/4/86); Jornal do Brasil (11/3/86); Perfil (1980); Who’s who in Brazil.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados