JOAO HERMANN NETO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: HERMANN, João
Nome Completo: JOAO HERMANN NETO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
HERMANN, JOÃO

HERMANN, João

*dep. fed. SP 1983-1991; const. 1987-1988; dep. fed. SP 1999-2003, 2003-2007, 2009.

João Herrmann Neto nasceu em Campinas (SP) no dia 7 de março de 1946, filho de João Guilherme Paz Herrmann e de América Elias Herrmann.

De 1964 a 1968, cursou engenharia agronômica na Escola Superior de Agricultura Luís de Queirós, da Universidade de São Paulo (USP); no ano da formatura, presidiu o centro acadêmico. Em 1985 iniciou curso de pós-graduação em relações internacionais na Universidade de Brasília (UnB), que não chegou a completar.

Secretário de Obras de Piracicaba (SP) de 1974 a 1975, em novembro desse último ano foi eleito prefeito do município na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. Empossado em fevereiro de 1976, articulou a frente que congregava os prefeitos do MDB no estado. Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), sucessor do MDB. Durante sua gestão, em 1980 e 1982, Piracicaba sediou dois congressos da União Nacional dos Estudantes (UNE), que se reorganizara em 1979.

Em novembro de 1982 foi eleito deputado federal. Deixou a prefeitura em janeiro do ano seguinte e assumiu seu mandato na Câmara. Exerceu a vice-presidência da Comissão de Relações Exteriores, destacando-se pelas articulações favoráveis ao reatamento das relações diplomáticas entre Brasil e Cuba, concretizado em 1986. Suplente nas comissões do Interior, do Índio e de Minas e Energia, fez parte, também, da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a Capemi. Defensor da convocação de uma Constituinte e da reforma agrária, e opositor da censura, do voto distrital, do voto vinculado e da legalização do jogo, foi primeiro vice-líder do PMDB na Câmara em 1983 e 1984.

Em 25 de abril de 1984 votou a favor da emenda Dante de Oliveira, que propunha a realização de eleições diretas para presidente da República já em novembro daquele ano. Derrotada a proposição, votou no Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, em Tancredo Neves, candidato oposicionista da Aliança Democrática, união do PMDB com a dissidência do Partido Democrático Social (PDS) abrigada na Frente Liberal. Eleito, Tancredo não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo interinamente o cargo, desde 15 de março.

Em novembro de 1986, eleito deputado federal constituinte, tornou-se vice-presidente da Comissão Interpartidária da Constituinte. Em fevereiro de 1987, depois de empossado no novo mandato, participou da Subcomissão da Nacionalidade, da Soberania e das Relações Internacionais, da Comissão da Soberania e dos Direitos e Garantias do Homem e da Mulher. Integrou, como titular, a Comissão de Sistematização e foi suplente da Subcomissão da Ciência e Tecnologia e da Comunicação, da Comissão da Família, da Educação, Cultura e Esportes, da Ciência e Tecnologia e da Comunicação. Afastado da elaboração da nova Constituição por motivo de doença, faltou a quase todas as votações do primeiro turno.

Restabelecido, voltou e apresentou proposições no sentido de regulamentar o direito de greve, o aviso prévio proporcional e os critérios de fixação do salário mínimo. Deu prioridade à soberania popular, regulamentando o plebiscito, o referendo e a iniciativa do povo na elaboração de leis; à disciplina dos investimentos estrangeiros; à remessa de lucros; à definição das áreas e setores prioritários para a intervenção econômica do Estado; à função social da propriedade, segundo sua localização geográfica, dimensão e potencial; à participação do Brasil no mercado internacional de armas e equipamentos bélicos.

Em 1988 afastou-se do PMDB, após 20 anos de militância no partido, e ingressou no Partido Socialista Brasileiro (PSB). Após a promulgação da nova Carta, em outubro de 1988, dedicou-se aos trabalhos legislativos ordinários. Em novembro, disputou a prefeitura de Piracicaba, na legenda do PSB, mas não conseguiu eleger-se. Deixou a Câmara dos Deputados ao final da legislatura, em janeiro de 1991, sem concorrer à reeleição.

Presidente do Partido Popular Socialista (PPS) desde 1990, disputou a prefeitura de Piracicaba em outubro de 1996, obtendo a segunda colocação, atrás de Humberto de Campos, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Em outubro de 1998, candidatou-se a uma cadeira na Câmara na legenda do PPS, sendo eleito com 52.162 votos. Nesse mandato, iniciado em fevereiro de 1999, foi líder do PPS na Câmara, de 1999 ao início de 2001 e novamente em 2002. Nesse ano, foi também líder do bloco formado pelo PPS e o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Também em 2002, foi novamente eleito deputado federal, com 87.090 votos. Em 2004, mudou de partido, filiando-se ao PDT. Concorreu ao cargo de deputado federal em 2006, mas ficou com uma suplência. Assumiu o mandato novamente em fevereiro de 2009 na vaga de Reinaldo Nogueira e tornou-se vice-líder do PDT.

Faleceu em abril de 2009, em sua fazenda no município de Presidente Alves (SP).

Foi diretor do Centro Brasil Democrático (Cebrade).

Casado com Maria Claúdia Ranzani Herrmann, teve quatro filhos.

 

FONTES: ASSEMB. NAC. CONST. Repertório (1987); CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987, 2007-2011); COELHO, J. & OLIVEIRA, A. Nova; Estado de S. Paulo (8/10/98); Folha de S. Paulo (22/4/85, 19/1, 3 e 17/2 e 22/5/87); Globo (22/5/87, 17/9/96); TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1998, 2002, 2006); Veja (2/7/86); Portal G1.

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados