JOAO MENDONCA FALCAO

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: FALCÃO, Mendonça
Nome Completo: JOAO MENDONCA FALCAO

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
FALCÃO, MENDONÇA

FALCÃO, Mendonça

*dep. fed. SP 1983-1987.

 

João Mendonça Falcão nasceu em São Paulo no dia 4 de janeiro de 1918, filho de Eduardo Mendonça Falcão e de Carmina Augusta.

Durante a década de 1940 trabalhou como funcionário da Light, chegando a presidir o Sindicato dos Eletricitários de São Paulo entre 1943 e 1946.

Entrou para a vida política elegendo-se deputado estadual de São Paulo no pleito de outubro de 1950, na legenda do Partido Social Progressista (PSP), assumindo o mandato no início do ano seguinte. Em outubro de 1954, foi reeleito, pela legenda do Partido Social Trabalhista (PST), sendo o candidato mais votado de sua agremiação.

Em 1955, iniciou sua carreira de dirigente esportivo, tornando-se chefe da delegação paulista de futebol, cargo que exerceu por dois anos, e presidente da Federação Paulista de Futebol, função que desempenhou até 1970. Em 1957, foi designado delegado da Confederação Brasileira de Desportos, cargo que ocupou até 1963. Nesse período foi também presidente do Conselho Nacional dos Desportos.

Nos pleitos de outubro de 1958 e 1962, foi reeleito deputado estadual, sempre pela legenda do PST. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965) e a conseqüente instauração do bipartidarismo, filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instalado no país em abril de 1964. Por essa legenda reelegeu-se pela quinta vez consecutiva no pleito de novembro de 1966. Acusado de tráfico de influência, teve seu mandato cassado após a decretação do Ato Institucional nº 5 em 1968, deixando a Assembléia Legislativa de São Paulo. Durante as cinco legislaturas em que ocupou uma cadeira de deputado estadual, foi membro titular das comissões de Justiça e de Finanças, entre outras, secretário da mesa e presidente interino do Legislativo.

Entre 1973 e 1982, trabalhou como assessor de Delfim Neto, nas ocasiões em que este ocupou os ministérios da Fazenda (1967-1974), da Agricultura (1979) e a Secretaria de Planejamento da Presidência da República (Seplan) (1979-1985).

Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e nessa legenda candidatou-se a uma cadeira na Câmara dos Deputados por São Paulo, no pleito de novembro de 1982. Eleito, assumiu o mandato em fevereiro do ano seguinte, participando dos trabalhos legislativos como membro titular da Comissão de Fiscalização Financeira e Tomada de Contas e suplente da Comissão de Agricultura e Política Rural.

Em 25 de abril de 1984, ausentou-se na votação da emenda Dante de Oliveira, que, apresentada na Câmara dos Deputados, propôs o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República em novembro desse ano. Como a emenda não obteve o número de votos indispensáveis à sua aprovação — faltaram 22 para que o projeto pudesse ser encaminhado à apreciação pelo Senado —, no Colégio Eleitoral, reunido em 15 de janeiro de 1985, Mendonça Falcão votou no candidato oposicionista Tancredo Neves, eleito novo presidente da República pela Aliança Democrática, uma união do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) com a dissidência do Partido Democrático Social (PDS) abrigada na Frente Liberal. Contudo, por motivo de doença, Tancredo Neves não chegou a ser empossado na presidência, vindo a falecer em 21 de abril de 1985. Seu substituto foi o vice José Sarney, que já vinha exercendo interinamente o cargo desde 15 de março.

Não candidatando-se a uma cadeira de deputado federal constituinte no pleito de novembro de 1986, deixou a Câmara em janeiro do ano seguinte, ao final da legislatura. Ainda em 1987, assumiu por poucos meses a Secretaria Municipal de Esportes de São Paulo durante o governo de Jânio Quadros (1986-1989). Por motivo de saúde, Mendonça Falcão retirou-se da vida pública.

Exerceu também a atividade de inspetor fiscal.

Morreu na cidade de São Paulo no dia 13 de janeiro de 1997.

Era casado com Udinela Vanda Mendonça Falcão, com quem teve dois filhos.

 

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1983-1987); Globo (26/4/84, 16/1/85); INF. FAM.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1950,1954-1955, 1958, 1962 e 1965-1966).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados