JOAQUIM DE BARROS CORREIA VIEGAS

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: VIEGAS, Joaquim
Nome Completo: JOAQUIM DE BARROS CORREIA VIEGAS

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
VIEGAS, JOAQUIM

VIEGAS, Joaquim

*dep. fed. AL 1951-1955.

 

Joaquim de Barros Correia Viegas nasceu em Viçosa (AL) no dia 14 de setembro de 1907, filho de Antônio Augusto Viegas e de Etelvina de Barros Correia Viegas.

Cursou os ginásios 11 de Janeiro e 15 de Março, em Maceió, e a Faculdade de Direito de Alagoas, pela qual se diplomou em 1937.

Advogado, exerceu as funções de agente fiscal do imposto de consumo, de primeiro tabelião público, de escrivão de órfãos e de procurador fiscal da prefeitura em Viçosa. Foi também oficial-de-gabinete do ministro da Viação a partir de 1937 e membro do Departamento Jurídico do mesmo ministério. No pleito de dezembro de 1945 elegeu-se suplente do senador Cícero de Vasconcelos à Assembléia Nacional Constituinte por seu estado, na legenda do Partido Social Democrático (PSD).

Eleito deputado federal por Alagoas na legenda do Partido Social Trabalhista (PST) em outubro de 1950, assumiu sua cadeira em fevereiro do ano seguinte. Em junho de 1952, durante os debates sobre a criação da Petrobras, assinou, juntamente com outros parlamentares, o substitutivo da União Democrática Nacional (UDN) ao projeto do governo.

No pleito de outubro de 1954 candidatou-se a uma cadeira na Câmara por seu estado, na legenda das Oposições Coligadas, que reunia o PSD, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), o Partido Republicano (PR), o Partido Democrata Cristão (PDC), o Partido Socialista Brasileiro (PSB) e o Partido Social Progressista (PSP), alcançando apenas uma suplência. Deixou a Câmara ao final de seu mandato, em janeiro de 1955.

Abandonando a política, ainda nesse ano mudou-se para Porto Alegre trabalhando como fiscal de consumo. Aposentou-se do cargo em 1966.

Faleceu em Porto Alegre no dia 27 de novembro de 1971.

Era casado com Iolanda Mayerhofer Viegas, com quem teve um casal de filhos. Seu cunhado Rodolfo Mota Lima, além de jornalista, também seguiu a carreira política, exercendo o mandato de deputado federal por Alagoas entre 1935 e 1937. Outro cunhado, Pedro Mota Lima, foi jornalista e participou da revolta comunista de 1935.

 

FONTES: CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Relação dos dep.; CISNEIROS, A. Parlamentares; COHN, G. Petróleo; INF. FAM.; TRIB. SUP. ELEIT. Dados (1, 2 e 3).

 

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados